Com aumento ‘dramático’ de refugiados, ONU insta Europa a impulsionar resposta humanitária

Grécia é o país que mais tem recebido refugiados e migrantes, chegando a quase 160 mil; só em julho foram 50 mil, número superior a todo o ano passado.

Dezenas de refugiados chegaram à Grécia por mar em julho de 2015, principalmente a partir de países que enfrentam guerras e conflitos. Foto: ACNUR/ J. Akkash

Dezenas de refugiados chegaram à Grécia por mar em julho de 2015, principalmente a partir de países que enfrentam guerras e conflitos. Foto: ACNUR/ J. Akkash

A escalada da crise de refugiados na Grécia continua, com as chegadas de migrantes acelerando “dramaticamente”, alertou nesta terça-feira (18) a Organização das Nações Unidas, exortando o governo grego a reforçar instalações e serviços de recepção e para a Europa aprimorar a coordenação humanitária.

“O número de refugiados e migrantes que chega à Grécia está acelerando dramaticamente e já atingiu a marca de 160 mil”, disse o porta-voz do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), William Spindle, acrescentando que mais refugiados e migrantes chegaram ao país durante o mês de julho (50.242) do que durante todo o ano passado (43.500).

Segundo o ACNUR, os números recentes da Grécia levam total de refugiados e migrantes que atravessam o Mediterrâneo este ano para cerca de 264.500, incluindo aproximadamente 104 mil na Itália e 2 mil na Espanha.

No entanto, há uma falta de infraestrutura de recepção e procedimentos de registro tanto nas ilhas quanto no continente, que têm de ser reforçados com urgência. O ACNUR está presente na Grécia, apoiando essas operações.

“Nós estamos recomendando às autoridades gregas para designar um órgão único para coordenar uma resposta de emergência e criar um mecanismo de assistência humanitária adequado”, declarou Spindle.