Com aumento de pessoas se mudando para cidades, ONU realiza conferência sobre urbanização sustentável

“As áreas urbanas estão no coração de muitos grandes desafios, oportunidades e promessas”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na reunião.

Foto: PNUMA

Em 2050, estima-se que cerca de 70% da população mundial — ou 6,3 bilhões de pessoas — vivam em áreas urbanas. Para discutir os desafios ligados a este assunto, o Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), iniciou nesta terça-feira (27) um evento de três dias com foco em urbanização sustentável. Esta é a primeira reunião do segmento de integração do Conselho, baseado nos pilares econômico, social e ambiental do desenvolvimento sustentável.

“As áreas urbanas estão no coração de muitos grandes desafios, oportunidades e promessas”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na reunião. Para ele, as mudanças climáticas estão aumentando os riscos em todas as cidades, onde os mais pobres são os mais atingidos, acrescentando importância aos planos e políticas em desenvolvimento que consideram as pessoas afetadas por eles.

“A decisão de focar na urbanização sustentável nesta primeira sessão do segmento foi sensata e oportuna, em vista do crescente impacto das tendências de urbanização no desenvolvimento sustentável, e da crescente importância das cidades na obtenção de resultados práticos para reduzir a pobreza, proteger o meio ambiente e melhorar a redução de desastres e resiliência”, disse o vice-presidente do ECOSOC, Vladimir Drobnjak.

O presidente de Ruanda, o vice-presidente da Colômbia e os prefeitos de Istambul, Kingston, Joanesburgo, Paris e Vitória, assim como o ex-prefeito de Nova York e enviado especial da ONU para Cidades e Mudanças Climáticas, Michael Bloomberg, estão entre os participantes do evento, que acontece na sede da ONU.

Atualmente, mais de 50% da população mundial vive em áreas urbanas. Mais de 60% da terra projetada para se tornar urbana em 2030 ainda está para ser desenvolvida. E espera-se que 95% desta expansão urbana ocorrerá nos países em desenvolvimento.