Com apoio do UNIC Rio, fotógrafo abre exposição e lança livro sobre Haiti em Brasília

Obra reúne 118 imagens inéditas registradas por Alan Marques após o terremoto de janeiro de 2012. Mostra exibe 50 delas no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República.

Com apoio do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), o repórter fotográfico da Folha de S. Paulo Alan Marques lançará o livro e abrirá a exposição “Bon Bagay: A luta no Haiti após terremoto” no dia 8 de outubro, às 20 horas, no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, em Brasília.

O livro reúne 118 imagens inéditas, das quais 50 serão exibidas no museu durante 30 dias, de terça a domingo, das 9h às 18h. A partir de 8 de outubro, um site na internet também mostrará fotos e vídeos produzidos por Marques no país caribenho.

A Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH) foi estabelecida pelo Conselho de Segurança da ONU em 2004, atendendo a pedido de auxílio do Governo haitiano para restabelecer a segurança interna e reestruturar as instituições.

A recuperação do país, porém, “sofreu um golpe terrível com o terremoto que arrasou o país em 12 de janeiro de 2010, ceifando as vidas de centenas de milhares de haitianos – e de 96 funcionários civis e militares da ONU: a maior perda jamais sofrida pela Organização”, registra o Diretor do UNIC Rio, Giancarlo Summa, no prefácio da obra.

“Alan Marques foi para o Haiti logo depois do terremoto, e lá ficou trabalhando sem parar por semanas a fio”, destaca Summa. “As fotos reunidas neste livro transmitem a emoção, a dor e, apesar de tudo, a esperança daqueles dias terríveis. A escolha do preto e branco é esteticamente acertada, e valoriza a sensibilidade do olhar do fotógrafo. São imagens fortes, que destacam os valores do trabalho das Nações Unidas: solidariedade, respeito, tolerância.”

O livro, que será distribuído na abertura da exposição, conta também com contribuições do ex-ministro da Defesa Nelson Jobim e dos jornalistas Fábio Zanini e Luis Kawaguti.