Com apoio do Brasil, ONU declara 22 de agosto dia internacional para lembrar as vítimas de violência religiosa

Com o apoio do Brasil e de outros sete países, a Assembleia Geral da ONU aprovou recentemente uma resolução que declara 22 de agosto como o Dia Internacional em Memória das Vítimas de Atos de Violência baseados em Religião ou Crença.

Na resolução, Estados-membros das Nações Unidas alertam para o fato de que esses ataques têm visado determinadas comunidades e minorias, aumentando em quantidade e gravidade e assumindo, muitas vezes, um caráter de crime.

Mosaico de imagens de fiéis e lideranças religiosas de diferentes credos. Foto: ONU/Rick Bajornas

Mosaico de imagens de fiéis e lideranças religiosas de diferentes credos. Foto: ONU/Rick Bajornas

Com o apoio do Brasil e de outros sete países, a Assembleia Geral da ONU aprovou recentemente uma resolução que declara 22 de agosto como o Dia Internacional em Memória das Vítimas de Atos de Violência baseados em Religião ou Crença.

A decisão foi adotada em maio (28) por consenso pelo organismo decisório. O texto foi apoiado conjuntamente pelo Brasil, Canadá, Egito, Jordânia, Nigéria, Paquistão, Polônia e Estados Unidos.

Na resolução, Estados-membros das Nações Unidas expressam preocupação com os contínuos atos de intolerância e de violência com base na religião e na crença das vítimas. Também alertam para o fato de que esses ataques têm visado determinadas comunidades e minorias, aumentando em quantidade e gravidade e assumindo, muitas vezes, um caráter de crime.

Países reiteram ainda que o terrorismo e o extremismo violento, em todas as suas formas e manifestações, não podem nem devem ser associados a qualquer religião, nacionalidade, civilização ou grupo étnico.

A resolução da Assembleia chama todos os países, agências da ONU, organizações da sociedade civil, setor privado e indivíduos a observar o dia internacional, que será lembrado pela primeira vez já em 2019.

Acesse o texto na íntegra clicando aqui.


Comente

comentários