Com apoio da OPAS, Ministério da Saúde amplia luta contra doenças negligenciadas no Brasil

Programa Mais Médicos, projeto de cooperação entre o Brasil e a Organização Pan-Americana de Saúde, quer chegar a mais crianças em 800 municípios dos 26 Estados brasileiros e Distrito Federal. Iniciativa quer reduzir verminoses intestinais e eliminar a hanseníase.

Imagem: OPASA Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde realizou este ano, pela primeira vez, a campanha de tratamento de ampla cobertura para as geohelmintíases e a busca ativa e detecção de casos de hanseníase, abrangendo crianças em idade escolar de 800 municípios nos 26 Estados brasileiros e Distrito Federal.

A campanha fez parte do Plano Integrado de Ações estratégicas de eliminação de Hanseníase, filariose, esquistossomose e oncocercose como problemas de saúde pública, tracoma como causa de cegueira e controle das geohelmintíases, lançado pelo Ministério da Saúde em julho de 2012.

Apesar de seu sucesso, a campanha apontou algumas realidades ocultas, como o número muito maior do que o esperado de crianças que não compareceram à escola, de aproximadamente 15%. A participação dos trabalhadores da Atenção Primária em Saúde e das equipes da Saúde da Família, junto com o reforço do Programa Mais Médicos — projeto de cooperação entre o Brasil e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) –, podem ser uma saída para atingir o resultado de cobertura desses 15%.

Além da detecção precoce de casos de hanseníase, a campanha de tratamento de ampla cobertura para as geohelmintíases visou a reduzir a morbidade causada por verminoses intestinais, em crianças em idade escolar.

A estratégia para o controle das verminoses foi a administração, em dose única de 400 mg, do medicamento albendazol, doado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pelos profissionais de saúde do Ministério da Saúde (MS) e das Secretárias Estaduais e Municipais da Saúde e Educação, em coordenação com os professores nas escolas.

Para a detecção de casos de hanseníase os professores coletaram informação sobre presença de possíveis sinais e sintomas. Os casos suspeitos foram referidos às unidades básicas de saúde para exame clínico e para confirmação do diagnóstico.

Considerando que muitos dos municípios onde estão localizados os médicos do Programa Mais Médicos são os mesmos que o Ministério selecionou, pelas suas condições de vulnerabilidade, para a campanha contra a verminose intestinal e a hanseníase, a OPAS vê na ação uma oportunidade para sistematizar a localização e o tratamento dessas crianças.

O apoio e colaboração entre o Programa Nacional de Doenças Negligenciadas e o ‘Mais Médicos’ podem promover um tratamento eficaz para as crianças com maior situação de vulnerabilidade, assim como favorecer o diagnóstico precoce da hanseníase em crianças de zonas ainda endêmicas.