Com apoio da ONU, Prêmio de Tecnologia Social 2019 homenageia iniciativas que promovem a inclusão

A premiação é considerada um dos principais eventos do terceiro setor por reconhecer iniciativas transformadoras que promovem a inclusão e o protagonismo social. Foto: Fundação BB.

A Fundação Banco do Brasil, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e demais parceiros anunciaram na quarta-feira (16) as iniciativas vencedoras da 10ª edição do Prêmio de Tecnologia Social 2019.

A premiação é considerada um dos principais eventos do terceiro setor por reconhecer iniciativas transformadoras que promovem a inclusão e o protagonismo social, além de melhorias das condições de vida da população.

Na cerimônia de premiação, realizada em Brasília, estiveram presentes mais de 600 convidados de entidades parceiras, representantes do governo federal, de embaixadas, de organismos internacionais, do setor privado e da sociedade civil organizada.

Iniciativas premiadas impulsionam a inclusão social

Todas as tecnologias sociais foram desenvolvidas por organizações sociais; instituições de ensino e pesquisa; e prefeituras, com a participação da comunidade e com grande potencial de promover transformações sociais.

O presidente da Fundação BB, Asclepius Soares, lembrou como o prêmio tem sido importante para o desenvolvimento do país. “As tecnologias sociais têm seu valor. Elas provam que existem muitas maneiras de resolver problemas complexos de maneiras simples.”

Segundo Soares, o uso da tecnologia social para impulsionar o desenvolvimento é algo animador. “Um exemplo é o soro caseiro, ou as cisternas de placas implementadas no semiárido brasileiro. É por isso que a tecnologia social é apaixonante”, concluiu.

Celebrando a tecnologia social

Presente no evento, a primeira dama do Brasil e presidente do ‘Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado – Pátria Voluntária’, Michelle Bolsonaro, parabenizou a Fundação BB e os parceiros do prêmio. “Esse tipo de trabalho gera impactos benéficos para toda a sociedade.”

Segundo ela, a prática do voluntariado é um ato de humanidade, civilidade e amor. “Sabemos que a transformação que todos queremos só será possível com a união de todos os setores de nossa sociedade”, afirmou.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, agradeceu pela parceria na premiação especial Primeira Infância. “A Fundação BB cumpre um papel importantíssimo, não só porque ela patrocina e premia tecnologias sociais, mas por ela ser um pivô de articulação das outras instituições que fazem um trabalho maravilhoso na área social”, comentou Terra.

“Aqui é uma celebração da solidariedade humana, da compaixão. E nós ainda temos uma longa trajetória para superar as dificuldades, a recessão, o desemprego, para chegar a um lugar melhor para todos”, afirmou o ministro.

Na ocasião, Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil, destacou o papel social desempenhado pelo banco através das suas iniciativas de promoção da cultura (Centros Culturais Banco do Brasil – CCBB) e de inclusão social (Fundação BB).

“Não somos um banco social, mas somos um banco que tem metade do seu capital pertencente a acionistas privados, mas nem por isso ele deixa de observar sua responsabilidade social”, avaliou.

Sobre o Prêmio

Desde 2001, a cada dois anos, a Fundação BB realiza a premiação, considerada um dos principais eventos do Terceiro Setor e que  certifica e premia tecnologias sociais.

Nesta edição, foram 24 finalistas, sendo 21 brasileiras dos estados de Alagoas, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Sergipe, e três finalistas do exterior, que vieram da Guatemala, Colômbia e República Dominicana.

As categorias nacionais foram: Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital; Educação; Geração de Renda e Meio Ambiente. E as premiações especiais: Mulheres na Agroecologia; Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico; e Primeira Infância. A categoria Internacional foi destinada a iniciativas da América Latina e do Caribe.

A premiação recebeu 801 inscrições e 123 tecnologias sociais passaram a fazer parte da plataforma digital Transforma, que abriga as iniciativas certificadas nas dez edições do Prêmio de Tecnologia Social da Fundação BB. A Transforma foi remodelada a partir do antigo Banco de Tecnologias Sociais (BTS).

A edição 2019 do prêmio tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Instituto C&A; Ativos S/A; e BB Tecnologia e Serviços.

O prêmio também recebeu cooperação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, e do apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO); Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Ministério da Cidadania; e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Confira a lista de todos os premiados no evento

Categoria: Mulheres na Agroecologia

1º lugar

Mulheres Protagonistas no Beneficiamento de Produtos Agroecológicos, da Cooperativa Agropecuária de Alagoas – Flexeiras (AL)

2º lugar

Pitanga Rosa: agroecologia, saúde e qualidade de vida, da Associação Pitanga Rosa – Chapecó (SC)

3º lugar

Programa Educacional de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável – PEADS , do Serviço de Tecnologia Alternativa – Ibimirim (PE)

Categoria: Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico

1º lugar

O Algodão Agroecológico Gerando Renda e Conhecimento no Curimataú Paraibano, Associação de Apoio a Políticas de Melhoria da Qualidade de Vida, Meio Ambiente e Verticalização da Produção Familiar – Remígio (PB)

2º lugar

Algodão Agroecológico no Fortalecimento da Agricultura Familiar e Associativismo, da Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá – Tauá (CE)

3º lugar

A trama do algodão que transforma, da Cooperativa Central Justa Trama – Porto Alegre (RS)

Categoria: Primeira Infância

1º lugar

Visitação domiciliar na primeira infância – da Secretaria da Saúde – Porto Alegre (RS)

2º lugar

Programa Primeira Infância Ribeirinha (PIR) – da Fundação Amazonas Sustentável – Manaus (AM)

3º lugar

Programa Municipal de Aleitamento Materno – PRÓ-MAMÁ – da Prefeitura Municipal de Osório RS – Osório (RS)

Categoria Internacional

1º lugar

Escuelas Ambientalmente Sostenibles y Cultura 3 R – Instituto Nacional de Bienestar Estudiantil (INABIE) – Santo Domingo – República Dominicana

2º lugar

Las compras públicas para un modelo territorial de comunidades indígenas MayaCh´orti´, da Asociación para el desarrollo integral de productores del Área Ch´orti´ – Chiquimula – Guatemala

3º lugar

Programa Ondas Atlántico para la generación temprana de vocaciones cientificas, da Universidad Simón Bolívar – Barranquilla – Colômbia

Categoria: Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital

1º lugar

Auditoria Cívica na Saúde – do Instituto de Fiscalizacão e Controle – Brasília (DF)

2º lugar

Arquitetura na Periferia – do Instituto de Assessoria a Mulheres e Inovação – IAMÍ – Belo Horizonte (MG)

3º lugar

Origens Brasil – do Instituto Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – Imaflora – Piracicaba (SP)

Categoria: Educação

1º lugar

Vamos enCURTAr essa história? – do Erem Frei Orlando – Itambé (PE)

2º lugar

Escola Ativa – do Instituto Esporte & Educação – São Paulo (SP)

3º lugar

Tecnologias Sociais e Formação em Ciências da Natureza de Educadores do Campo – da Universidade Federal de Viçosa – Viçosa (MG)

Categoria: Geração de Renda

1º lugar

A trama do algodão que transforma – da Cooperativa Central Justa Trama – Porto Alegre (RS)

2º lugar

CLOC (Criatividade – Lógica – Oportunidade – Crescimento) – do Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação – Santa Luzia do Itanhy – (SE)

3º lugar

Turismo de Base Comunitária: melhorando vidas e preservando o meio ambiente – do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM) – Tefé (AM)

Categoria: Meio Ambiente

1º lugar

Reuso de resíduos vítreos de aterros sanitários: meio ambiente e renda – da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Toledo – Toledo (PR)

2º lugar

Plantando Águas – do The Green Initiative – São Paulo Sistema (SP)

3º lugar

Sistema Miyawaki de restauração de ecossistemas na Amazônia – do Instituto Amigos da Floresta Amazônica – ASFLORA – Benevides (PA).