Com apoio da ONU no Brasil, Gâmbia entra em nova fase do programa de alimentação escolar

Esforço conjunto entre os escritórios do Programa Mundial de Alimentos da ONU no Brasil e em Gâmbia pode chegar a até 160 mil pessoas vulneráveis, a maior parte delas crianças de até 12 anos.

Alunos do jardim de infância saem de suas salas de aula para almoçar no pátio da Escola Básica de Muhammadan. Foto: WFP/Kebba Jallow

Alunos do jardim de infância saem de suas salas de aula para almoçar no pátio da Escola Básica de Muhammadan. Foto: WFP/Kebba Jallow

O Centro de Excelência contra Fome do Programa Mundial de Alimentos (WFP Brasil) visitou a Gâmbia para uma missão de duas semanas com o objetivo de auxiliar o país na próxima fase do programa nacional de alimentação escolar com foco em compras locais (HGSF, na sigla em inglês).

Igor Carneiro e Bruno Magalhães, oficiais de Programa do WFP Brasil, estão apoiando o escritório do WFP no país no processo de transição e expansão – sob a liderança de Wanja Kaaria, diretora e representante local do WFP.

Esse esforço conjunto dos escritórios do WFP no Brasil e na Gâmbia tem potencial para alcançar até 160 mil pessoas vulneráveis, a maior parte delas crianças de até 12 anos de idade em três regiões: Wester Division, Lower River e Central River.

Meninas em idade escolar e mulheres rurais são a maioria dos possíveis beneficiários, o que pode chegar a 85 mil pessoas.

Desde março de 2018, o WFP Brasil, o escritório nacional do WFP e o Governo da Gâmbia vêm promovendo o fortalecimento de um Grupo de Trabalho Multissetorial de alimentação escolar com foco em compras locais. Esse grupo busca ampliar a conexão dos modelos existentes para o programa de alimentação escolar no país com o setor agrícola.

Para isso, o WFP Brasil e o escritório local do na Gâmbia estão preparando diversos projetos de mobilização de recursos com fundos internacionais para financiar ações de fortalecimento da capacidade do país e de desenvolvimento de pequenos agricultores por meio da cooperação Sul-Sul, com foco em questões de gênero.

Esforço conjunto

Nas dimensões institucional e ambiental de alto nível desse processo, a representação do WFP no país, o WFP Brasil, juntamente com os ministérios da Agricultura (MoA), Educação Básica e Secundária (MoBSE) e Mulheres, Crianças e Bem-Estar Social compartilham a liderança desta intervenção-chave no programa de alimentação escolar.

Os esforços conjuntos dos três ministérios devem consolidar a coordenação apropriada para a entrega do programa e a coerência das políticas do planejamento de transição.

O Ministério da Agricultura (MoA), em particular, tem como objetivo apoiar a coordenação de todos os aspectos do planejamento estratégico para organizar a produção e envolver e capacitar pequenos agricultores e suas associações, para que eles possam suprir o mercado de alimentação escolar.

O Ministério da Educação Básica e Secundária (MoBSE) desempenha o papel de gerenciar o ambiente e os domínios organizacionais das ferramentas de política do programa de alimentação escolar existentes.

O plano é buscar estratégias apropriadas e apoio das partes interessadas para ampliar o programa nacional de alimentação escolar e transferir o controle para as autoridades locais.

O Escritório do WFP na Gâmbia tem a responsabilidade primordial de coordenar todo o suporte técnico com o governo local, desde a mobilização de atores até a implementação do programa.

O Escritório Nacional, liderado por Wanja Kaaria, atua como o ponto de entrada para conectar o WFP Brasil ao governo e aos atores locais. Através da Cooperação Sul-Sul e Triangular, o WFP Brasil fornece mecanismos para fortalecer o conhecimento, advocacia e serviços de consultoria técnica. Saiba mais clicando aqui.