Com apoio da ONU, Gâmbia adota ações de proteção social seguindo modelo brasileiro

Brasil e Centro de Excelência do Programa Mundial de Alimentos apoiam desenvolvimento de programa de alimentação escolar em Gâmbia totalmente suprido pelo governo nacional até 2020. 

Uma mulher vende vegetais em Gâmbia. Foto: FAO/Seyllou Diallo

Uma mulher vende vegetais em Gâmbia. Foto: FAO/Seyllou Diallo

O Brasil participou de um fórum em Gâmbia sobre estratégias de proteção social realizadas no começo de dezembro deste ano. Líderes políticos de outros quatro países – Gâmbia, Etiópia, Moçambique e Quênia – e a chefe do Centro de Excelência do Programa Mundial de Alimentos (PMA), Christiani Buani, também estiveram presentes no evento, cujo objetivo era validar o plano de ação para a alimentação escolar de Gâmbia. 

Dentre as recomendações feitas pelos participantes, incluem-se um novo arranjo institucional, com a criação de um ministério para o desenvolvimento social, seguindo o exemplo brasileiro; o foco nas pessoas que vivam com deficiências, com o vírus HIV ou em situação vulnerável; e o reforço das capacidades institucionais daqueles que atuam na linha da frente da prestação de serviços de proteção social em Gâmbia. 

Políticas nacionais de alimentação escolar já estão sendo desenvolvidas e estudos locais estão sendo realizados em todo país. Nesse sentido, iniciativas como o desenvolvimento das capacidades regionais para a gestão de alimentação escolar, a criação de hortas escolares em mais de 100 escolas e a mobilização de recursos vêm ganhando espaço. 

Em 2012, o PMA e o governo de Gâmbia chegaram a um acordo comum sobre a transição de um programa de alimentação escolar apoiado por doadores para um programa plenamente suprido pelo país até 2020. Para isso, o país pediu o apoio do Brasil e do Centro de Excelência do PMA para implementar estratégias comuns para estabelecer a fundação da nova iniciativa.

O Brasil foi representado no evento pelo Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA), o Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo, e pelo Centro de Excelência contra a Fome. O escritório regional do PMA para a África Ocidental e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) também enviaram representantes para o evento. O próximo workshop técnico acontecerá em março de 2015.