‘Com a corrupção, todos nós pagamos o preço’, afirma representante do UNODC no Brasil

No Dia Internacional contra a Corrupção, o representante do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) no Brasil lembrou que “com a corrupção, todos nós pagamos o preço”.

Foto: UNODC

Foto: UNODC

A Controladoria-Geral da União (CGU) e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) comemoraram o Dia Internacional contra a Corrupção, dia 9, em Brasília. O representante do UNODC no Brasil, Rafael Franzini, aproveitou o momento para lembrar os danos da corrupção na sociedade.

Para o representante, “todo mundo pode ser uma vítima da corrupção; com ela, todos nós pagamos o preço”. Combatê-la “é uma preocupação global, porque este é um crime que atinge tanto países ricos quanto países pobres”.

Ainda assim, Franzini advertiu que a corrupção “prejudica as pessoas de maneira desproporcional, causando maior dano justamente aos mais vulneráveis”.

No evento comemorativo, que contou com a presença de diversas autoridades, o ministro-chefe da CGU, Jorge Hage Sobrinho, afirmou que a comemoração dos 10 anos de existência da controladoria e a parceria com o UNODC é “um bom marco para fazer o balanço da luta contra a corrupção”.

O prêmio UNODC desse ano foi entregue ao ex-secretário executivo da CGU, Luiz Navarro, que trabalhou durante dez nos no órgão. Seis iniciativas de entidades do Poder Executivo Federal também foram premiadas no 1º Concurso de Boas Práticas da Controladoria.