Colômbia: ONU parabeniza partes após progresso em acordo de paz

Reunidos em Havana, governo colombiano e FARC divulgaram declaração conjunta anunciando um acordo sobre participação política, o segundo dos cinco pontos da agenda do diálogo de paz.

Crianças em uma escola rural em La Ceja del Tambo, Antioquia, Colômbia. Foto: Banco Mundial/Charlotte Kesl

Crianças em uma escola rural em La Ceja del Tambo, Antioquia, Colômbia. Foto: Banco Mundial/Charlotte Kesl

A ONU parabenizou nesta quinta-feira (7) a Colômbia após o anúncio de que as partes em negociação chegaram a um acordo em Havana, Cuba, sobre a questão da participação política no país sul-americano.

O governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) divulgaram uma declaração conjunta anunciando um acordo sobre a participação na política nacional, o segundo dos cinco pontos da agenda do diálogo de paz realizado em Havana que busca acabar com o conflito armado que já dura décadas. O acordo também pede que a FARC se desarme e forme um movimento político.

Em maio, o governo e os rebeldes haviam obtido um consenso sobre o primeiro ponto da agenda, o tema agrário. Ainda estão sendo negociados os temas de drogas, abandono das armas e indenização das vítimas, além de um mecanismo de referendo.

Residente e coordenador humanitário da ONU na Colômbia, Fabrizio Hochschild. Foto: OCHA/Héctor Latorre

Residente e coordenador humanitário da ONU na Colômbia, Fabrizio Hochschild. Foto: OCHA/Héctor Latorre

Cerca de 600 mil pessoas morreram desde que teve início o conflito entre as autoridades do país e as FARC, na década de 1960. Recentemente, os dois lados se envolveram em negociações sobre vários assuntos, em um esforço para pôr fim ao conflito.

O coordenador humanitário da ONU no país, Fabrizio Hochschild, parabenizou todas as partes envolvidas na negociação sobre o “progresso substancial” feito para chegar a um acordo sobre a questão da participação política, o segundo item do “Acordo Geral para o Fim do Conflito e Construção de uma Paz Estável e Duradoura”.

Hochschild enfatizou a importância de um diálogo contínuo para alcançar o fim do conflito armado e reiterou a disponibilidade da ONU de continuar apoiando o processo de paz.

Operação do Brasil e da Cruz Vermelha para resgatar reféns das FARC, em 2012. Foto: Comitê Internacional da Cruz Vermelha/Boris Heger

Operação do Brasil e da Cruz Vermelha para resgatar reféns das FARC, em 2012. Foto: Comitê Internacional da Cruz Vermelha/Boris Heger

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, também se pronunciou destacando a importância das “garantias e mecanismos que asseguram a participação cidadã no alcance de uma paz duradoura baseada em princípios democráticos e de respeito pelos direitos humanos”.

Ban elogiou o empenho das partes em implementar o acordo com uma perspectiva de gênero, assegurando a participação política das mulheres.

“O secretário-geral congratula-se com o anúncio de que as negociações continuarão em Havana e deseja sucesso a ambas as delegações para chegar a acordo sobre as questões pendentes”, disse um comunicado emitido por seu porta-voz.