Colômbia: ONU elogia pacto de cessar-fogo entre governo e rebeldes do ELN

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

António Guterres elogiou anúncio do governo da Colômbia e do Exército de Libertação Nacional (ELN) de um cessar-fogo bilateral temporário de 1 de outubro de 2017 a 12 de janeiro de 2018. Secretário-geral expressou a esperança de que o acordo melhore as condições para a população civil em áreas de conflito e ofereça oportunidades para um progresso substancial nas negociações de paz entre as partes.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, elogiou nesta terça-feira (5) o anúncio do governo da Colômbia e do Exército de Libertação Nacional (ELN) de um cessar-fogo bilateral temporário de 1 de outubro de 2017 a 12 de janeiro de 2018.

Em um comunicado emitido por seu porta-voz, Guterres expressou a esperança de que o acordo, anunciado na segunda-feira (4) em Quito, no Equador, melhore as condições para a população civil em áreas de conflito e ofereça oportunidades para um progresso substancial nas negociações de paz entre as partes.

“O secretário-geral elogia o papel dos [Estados] garantidores – Brasil, Chile, Cuba, Equador, Noruega e Venezuela – em apoio às negociações, bem como o papel importante da Igreja Católica”, afirmou o comunicado, acrescentando que Guterres reiterou o apoio da ONU a todos os esforços que contribuam para uma paz duradoura na Colômbia.

Também na terça-feira, as Nações Unidas na Colômbia elogiaram o acordo.

“As Nações Unidas acreditam que o principal objetivo do acordo é melhorar a situação humanitária da população”, disse um comunicado de imprensa divulgado pela Missão das Nações Unidas no país.

“Este ato é um passo concreto para o pleno respeito e aplicação do direito internacional humanitário e ajudará a construir confiança no processo de paz”, acrescentou.

Esta negociação se insere no contexto do acordo de paz mais amplo que encerrou cinco décadas de guerra entre o governo e o então maior grupo armado da Colômbia, as FARC-EP ou Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

“A população civil colombiana que sofre diretamente com o conflito será a principal beneficiária dos compromissos anunciados pelo ELN para suspender todo tipo de sequestros e ataques contra infraestrutura física, o envolvimento de crianças e adolescentes e a abstenção de instalar minas explosivas antipessoais”, disse o comunicado.

O comunicado disse que, da mesma forma, a ONU elogia o fato de o governo fortalecer o sistema de alerta precoce para prevenir ataques e assassinatos de líderes sociais. “Todas essas medidas ajudarão a criar um clima favorável para o processo de consulta com os cidadãos, estabelecido na agenda de negociações”, afirmou.


Comente

comentários