Chile desiste de sediar conferência sobre mudança climática; ONU busca alternativas

As Nações Unidas confirmaram nesta quarta-feira (30) a informação sobre a desistência do Chile de sediar a Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP 25).

Em nota, a secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), Patricia Espinosa, disse ter recebido a comunicação direta do presidente chileno, Sebastián Piñera, de que seu país não sediará mais o evento, marcado para ocorrer de 2 a 13 de dezembro.

Espinosa disse que o Chile está “atravessando uma situação difícil”, e que ela e sua equipe já começaram a pensar em alternativas para que a conferência seja realizada em outro lugar.

Santiago do Chile. Foto: Santiago do Chile. Foto: B1mbo/Wikipédia/CC

Santiago do Chile. Foto: Santiago do Chile. Foto: B1mbo/Wikipédia/CC

As Nações Unidas confirmaram nesta quarta-feira (30) a informação sobre a desistência do Chile de sediar a Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP 25).

Em nota, a secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), Patricia Espinosa, disse ter recebido a comunicação direta do presidente chileno, Sebastián Piñera, de que seu país não sediará mais o evento, marcado para ocorrer de 2 a 13 de dezembro.

Espinosa disse que o Chile está “atravessando uma situação difícil”, e que ela e sua equipe já começaram a pensar em alternativas para que a conferência seja realizada em outro lugar.

A Conferência sobre Mudança Climática é uma das mais importantes no calendário da ONU. É nela que os países selam seus compromissos e acordos nessa área. Foi na mesma conferência, realizada em 2015, na França, que foi aprovado o Acordo de Paris para o clima.

Inicialmente, a realização da COP 25 estava marcada para ocorrer no Brasil, mas com a desistência anunciada em 2018 pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, de realizar o evento no país, o Chile ofereceu-se para abrigar a reunião.