Chefe de agência da ONU para refugiados inicia visita ao Brasil nesta quinta-feira (15)

O chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi, inicia nesta quinta-feira (15) uma visita ao Brasil para conhecer de perto a resposta humanitária a refugiados e migrantes venezuelanos que têm sido forçados a deixar seu país devido à piora da situação política e socioeconômica, de direitos humanos e da ordem pública.

Grandi iniciará sua visita por Brasília, onde se reunirá com autoridades nacionais, organizações da sociedade civil e do Sistema ONU, além de doadores e famílias venezuelanas vivendo no Distrito Federal.

Duante sua visita à ponte internacional Simon Bolivar, o chefe do ACNUR, Filippo Grandi, conheceu Yinaica Quintero e sua filha Shaina, de 9 meses. Elas cruzaram a fronteira da Colômbia para acessar os serviços de saúde. Foto: ACNUR/Fabio Cuttica

Duante sua visita à ponte internacional Simon Bolivar, o chefe do ACNUR, Filippo Grandi, conheceu Yinaica Quintero e sua filha Shaina, de 9 meses. Elas cruzaram a fronteira da Colômbia para acessar os serviços de saúde. Foto: ACNUR/Fabio Cuttica

O alto-comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, inicia nesta quinta-feira (15) uma visita ao Brasil para conhecer de perto a resposta humanitária a refugiados e migrantes venezuelanos que têm sido forçados a deixar seu país devido à piora da situação política e socioeconômica, de direitos humanos e da ordem pública.

Grandi iniciará sua visita por Brasília, onde se reunirá com autoridades nacionais, organizações da sociedade civil e do Sistema ONU, além de doadores e famílias venezuelanas vivendo no Distrito Federal.

Na sexta-feira (16), ele estará em Roraima para visitar atividades e instalações da Operação Acolhida em Boa Vista e Pacaraima – e se reunir com contrapartes governamentais, sociedade civil e refugiados e migrantes venezuelanos. Sua missão, que também incluiu uma visita ao Chile, se encerra no domingo (18).

Esta é a quinta visita oficial de Filippo Grandi à região. Nesta viagem, ele tem avaliado as necessidades humanitárias de refugiados e migrantes venezuelanos e explorado soluções para os mais vulneráveis.

Uma coletiva de imprensa com o alto-comissário da ONU acontecerá na sexta-feira (16) em Boa Vista, no abrigo Rondon 03 – um dos 13 abrigos estabelecidos em Roraima pela Operação Acolhida.

No estado, o chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) se encontrará com pessoas venezuelanas recém-chegadas ao Brasil e escutará os riscos que sofreram durante sua jornada. Ele também terá a oportunidade de conhecer a resposta emergencial que tem sido dada em Roraima, incluindo ações de abrigamento, alimentação, assistência legal para venezuelanos e projetos de promoção à integração local.

Em ambos os países, Grandi encontrará organizações parcerias e principais doadores. No momento em que o pedido de 738 milhões de dólares para esta resposta humanitária tem apenas 24% de financiamento, o alto-comissário irá buscar mais apoio da comunidade internacional para os países e comunidades que acolhem refugiados e migrantes da Venezuela.

Contatos de mídia

William Spindler, spindler@unhcr.org, +507 63827815
Stephanie Rabi, rabimisl@unhcr.org, +56 9 9188 6369 (Chile)
Luiz Fernando Godinho, godinho@unhcr.org, +55 61 9.8187 0978 (Brasil)
Liz Throssell, throssel@unhcr.org, +41 79 337 7591 (Genebra)