Chefe das operações de paz da ONU ressalta progressos na RD Congo, Mali, Sudão e Sudão do Sul

Mali caminha positivamente para a estabilização, Sudão e Sudão do Sul já estão conversando sobre os problemas entre os dois países e na RD Congo, os rebeldes estão encurralados.

Forças de paz da ONU no Mali. Foto ONU/Marco Dormino

O subsecretário-geral da ONU para operações de manutenção da paz, Hervé Ladsous, destacou na quinta-feira (12) o importante progresso que está sendo feito desde o início do ano nas missões na República Democrática do Congo (RDC), Mali, Sudão e Sudão do Sul.

Ele disse que as forças nacionais da República Democrática do Congo, com a ajuda da Missão das Nações Unidas para a Estabilização na RDC (MONUSCO), foram capazes de deslocar o grupo rebelde M23 para o norte do país, acabando com a ameaça na cidade de Goma, nos abrigos para pessoas internamente deslocadas, e nos locais onde se localiza a própria missão da organização.

No Mali, a Missão Multidimensional Integrada da ONU para a Estabilização do país (MINUSMA) está em estreita cooperação com o governo. Ladsous disse que existe um “esforço contínuo” para resolver os problemas do país, “e que, até agora, o futuro é promissor”. Ele observou que existem várias etapas para a estabilização do Mali, que, desde 2012, sofreu um golpe militar, aconteceram novos combates entre o governo e os rebeldes tuaregues e o norte de seu território foi controlado por radicais islâmicos.

Quanto ao Sudão e Sudão do Sul, Ladsous disse que, apesar da situação ser instável, após uma reunião na semana passada entre o presidente sudanês, Omar al- Bashir, e o presidente Salva Kiir, do Sudão do Sul, a perspectiva de paz na região é positiva.

O balanço completo das operações de paz feito por Ladsous pode ser encontrado aqui.