Chefe da UNESCO pede investigação de assassinatos de jornalistas na Guatemala

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Aceituno López era diretor e locutor da Radio Ilusión e foi morto a tiros na semana passada (25), na cidade de Quetzaltenango, a oeste do país. Esteban Gaspar, que atuava como apresentador na Radio Sembrador, em Ixcán, no norte da Guatemala, foi assassinado no dia 30 de abril, segundo informação de relatórios independentes.

Arte: Esther Vargas / Flickr (CC)

Arte: Esther Vargas / Flickr (CC)

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, pediu nesta quarta-feira (29) que se investigue a fundo os assassinatos dos jornalistas guatemalenses Álvaro Alfredo Aceituno López e Diego Salomón Esteban Gaspar.

Aceituno López era diretor e locutor da Radio Ilusión e foi morto a tiros na semana passada (25), na cidade de Quetzaltenango, a oeste do país. Esteban Gaspar, que atuava como apresentador na Radio Sembrador, em Ixcán, no norte da Guatemala, foi assassinado no dia 30 de abril, segundo informação de relatórios independentes.

“Eu condeno os assassinatos dos jornalistas. Esses crimes violentos não devem limitar a liberdade que os profissionais de imprensa precisam para realizar seus trabalhos, importantes para a sociedade”, alertou Irina Bokova.

A UNESCO é a agência das Nações Unidas com o mandato para defender a liberdade de expressão e de imprensa. Desde 1997 a UNESCO acompanha os casos de morte de profissionais de mídia em todo o mundo.

 


Mais notícias de:

Comente

comentários