Chefe da UNESCO condena assassinato de jornalista na República Democrática do Congo

Na imagem a frase em inglês “Parem de assassinar jornalistas”. Foto: UNESCO

O chefe do órgão das Nações Unidas encarregado de defender a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa pediu nesta quinta-feira (30) a investigação do assassinato do jornalista, Soleil Balanga, na República Democrática do Congo no dia 16 de abril.

“Estou chocada e condeno fortemente o assassinato brutal de Soleil Balanga”, declarou a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. “Incentivo as autoridades a levar os responsáveis por este assassinato à justiça. A violência não pode ser permitida para silenciar jornalistas e privar o público de informações que ele tem direito de receber”.

Balanga foi morto na cidade de Monkoto, norte da província de Équateur, depois de ter usado um megafone para transmitir notícias nas ruas de sua cidade após o transmissor da sua estação de rádio local, Monkoto Soso Aleli, quebrar.