Chefe da ONU pede mundo livre de armas nucleares em aniversário do bombardeio de Hiroshima

“Homenageamos os sobreviventes que sofreram adversidades graves em consequência do ataque. A ONU está com eles, com sua visão de um mundo livre de armas nucleares”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Ruínas do Edifício da Prefeitura de Promoção da Indústria, posteriormente preservado como monumento - conhecido como Genbaku Dome - no Memorial de Paz de Hiroshima. Foto: ONU

Ruínas do Edifício da Prefeitura de Promoção da Indústria, posteriormente preservado como monumento – conhecido como Genbaku Dome – no Memorial de Paz de Hiroshima. Foto: ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, renovou nesta quinta-feira (06) sua determinação em promover o objetivo de alcançar um mundo “livre da sombra nuclear”, em sua mensagem que marca o aniversário de 70 anos do bombardeio atômico na cidade japonesa de Hiroshima.

“Sete décadas após o uso de bombas atômicas pela primeira vez em conflito, essa ocasião sombria lembra as dezenas de milhares que morreram naquele dia. Homenageamos os sobreviventes que sofreram adversidades graves em consequência do ataque. A ONU está com eles, com sua visão de um mundo livre de armas nucleares”, disse Ban em sua mensagem para a Cerimônia Memorial da Paz.

Mais de 200 mil pessoas morreram da radiação nuclear, ondas de choque das explosões e radiação térmica resultante do bombardeio de Hiroshima em 6 de agosto de 1945 e de Nagasaki três dias depois.

Além disso, mais de 400 mil pessoas morreram – e continuam a morrer – desde o fim da Segunda Guerra Mundial como consequência do impacto das duas bombas. Ban observou que este ano também marca o 70º aniversário da ONU, e lembrou que a primeira resolução adotada pela Assembleia Geral refletiu a preocupação do mundo sobre o uso de armas atômicas.