Chefe da ONU pede libertação de mais de 100 meninas sequestradas na Nigéria

Mais de cem meninas foram sequestradas em ataque a escola em Yobe, no nordeste da Nigéria. Foto: UNICEF/Abubakar

O chefe das Nações Unidas, António Guterres, pediu na quarta-feira (28) a libertação de mais de cem meninas que foram sequestradas em fevereiro (19), no nordeste da Nigéria. Jovens foram levadas após ataque a uma escola no estado de Yobe. A suspeita é de que a ação tenha sido orquestrada pelos terroristas do grupo Boko Haram.

O dirigente máximo do organismo internacional condenou duramente o sequestro e a investida militar. “O secretário-geral pede a libertação imediata e incondicional de todas as meninas desaparecidas e o retorno delas em segurança para suas famílias”, disse o porta-voz de Guterres.

O chefe da ONU também fez um apelo às autoridades nigerianas para que ajam com rapidez e levem os responsáveis pelos crimes à justiça. Segundo informações da imprensa internacional, o governo nigeriano já divulgou os nomes das 110 meninas sequestradas, que têm entre 11 e 19 anos. Aviões da força aérea estão fazendo buscas.

Em 2014, os extremistas do Boko Haram sequestraram mais de 270 estudantes de uma outra escola na Nigéria, localizada em Chibok.