Chefe da ONU pede ‘contenção’ após aumento de tensão na Ucrânia; Conselho de Segurança se reúne

Segundo a imprensa, militantes anti-governamentais tomaram o edifício principal da polícia de Slavyansk, no leste do país, e construíram barricadas ao longo das estradas que levam até a cidade.

Prefeitura de Slavyansk em 2008. Foto: Артемка (Creative Commons)

Com o aumento da tensão no leste da Ucrânia, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, fez um apelo a todos os lados para trabalharem no sentido de acalmar a situação, que tem o “potencial de crescimento” para provocar confrontos violentos. Neste domingo (13) à noite, o Conselho de Segurança das Nações Unidas está realizando uma reunião aberta sobre a situação.

Em um comunicado emitido no final da noite por seu porta-voz, em Nova York, Ban Ki-moon expressou profunda preocupação sobre possíveis confrontos no país recém saído de uma crise de segurança e política.

Segundo a imprensa, manifestantes anti-governamentais tomaram, na pequena cidade de Slavyansk, leste do país, o edifício principal da polícia e construíram barricadas ao longo das estradas que levam até a cidade – localizada a cerca de 90 quilômetros da fronteira com a Rússia.

“O secretário-geral destaca que novas agitações não servirão aos interesses de qualquer lado. Ele, portanto, apela para todos os lados para trabalhar no sentido de acalmar a situação, de respeitar o Estado de Direito e exercer a máxima contenção”, disse o comunicado.

Pedindo mais uma vez o diálogo urgente e construtivo para reduzir as tensões e abordar todas as diferenças, Ban Ki-moon também ressaltou que a ONU está pronta para continuar apoiando uma solução pacífica para a crise atual que enfrenta a Ucrânia.

Meses de instabilidade política na Ucrânia levaram à deposição, pelo Parlamento, do presidente Viktor Yanukovich em fevereiro, seguido pelo aumento das tensões na região autônoma da Crimeia, onde militares russos foram posteriormente implantados e um referendo de secessão foi realizado em meados de março, em que a maioria das pessoas da região votaram pela adesão à Rússia.

No final de março, a Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução declarando, no entanto, que o referendo é inválido.

Imagem: Seção Cartográfica das Nações Unidas (DFS)

O Conselho de Segurança da ONU anunciou em Nova York que realizaria uma reunião aberta sobre a situação na Ucrânia, que começou por volta das 21h (horário de Brasília, clique aqui para assistir).

Ban Ki-moon e outros funcionários de alto escalão da ONU lideraram esforços para uma solução diplomática para a crise. Depois de voltar de uma visita à Ucrânia e à Rússia no final de março, ele pediu uma solução baseada nos princípios da Carta das Nações Unidas e advertiu às partes interessadas – e a toda a comunidade internacional – que “neste momento de tensões elevadas, mesmo pequenas faíscas podem inflamar maiores chamas de consequências não intencionais”.