Chefe da ONU para direitos humanos pede informações sobre detenções no Egito

Navi Pillay solicita dados sobre mandados de prisão contra o ex-presidente Mohamed Morsi e demais detidos após militares tomarem o poder. Alta comissária quer enviar equipe para acompanhar acontecimentos no país.

Crise no Egito foi intensificada em julho. Foto: UN News

A chefe das Nações Unidas para os direitos humanos, Navi Pillay, solicitou às autoridades egípcias informações detalhadas sobre a legalidade da detenção do ex-presidente do país Mohamed Morsi e sua equipe, quantos mandados de prisão foram emitidos e quantas pessoas estão atualmente sob custódia após a mudança de governo.

Em uma reunião no dia 10 de julho com o embaixador do Egito em Genebra, Suíça, Pillay pediu uma lista com o nome das pessoas que receberam os mandados de prisão a partir do dia 3 de julho, quando os militares depuseram o ex-presidente Morsi, e quem está atualmente preso.

Pillay comunicou às autoridades egípcias que ela gostaria de enviar uma equipe para acompanhar a evolução do país. “Estamos aguardando a aprovação das autoridades e uma equipe está pronta para ser enviada imediatamente”, afirmou o porta-voz Rupert Colville nesta sexta-feira (19).

A crise no Egito foi intensificada no início deste mês, resultando na deposição do presidente Mohamed Morsi pelos militares em meio a protestos generalizados em que dezenas de pessoas foram mortas e feridas. A Constituição foi suspensa e um governo interino instituído.