Chefe da ONU elogia argelinos por natureza pacífica de atos pela renúncia de presidente

O secretário-geral das Nações Unidas elogiou na quarta-feira (3) a “natureza madura e calma” de protestos envolvendo centenas de milhares de cidadãos da Argélia que foram às ruas nas últimas semanas para pedir a saída do então presidente Abdelaziz Bouteflika. O líder, que havia anunciado no fim de fevereiro que iria buscar seu quinto mandato, deixou o cargo na terça-feira (2).

Em comunicado emitido por seu porta-voz, António Guterres destacou a decisão do presidente de 82 anos de renunciar, após 20 anos no poder. Bouteflika era raramente visto em público desde que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), em 2013.

Bandeira da Argélia (centro), na sede da ONU em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

Bandeira da Argélia (centro), na sede da ONU em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

O secretário-geral das Nações Unidas elogiou na quarta-feira (3) a “natureza madura e calma” de protestos envolvendo centenas de milhares de cidadãos da Argélia que foram às ruas nas últimas semanas para pedir a saída do então presidente Abdelaziz Bouteflika. O líder, que havia anunciado no fim de fevereiro que iria buscar seu quinto mandato, deixou o cargo na terça-feira (2).

Em comunicado emitido por seu porta-voz, António Guterres destacou a decisão do presidente de 82 anos de renunciar, após 20 anos no poder. Bouteflika era raramente visto em público desde que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), em 2013.

Segundo relatos, Bouteflika teria tomado a decisão de não buscar um quinto mandato há alguns dias, após semanas de protestos pacíficos em que centenas de milhares de argelinos foram às ruas. Os manifestantes pediam a saída do presidente e de outros membros da elite política.

“O secretário-geral saúda a natureza madura e calma com qual o povo argelino tem expressado seu desejo por mudança”, disse o comunicado. “Ele aguarda um processo de transição pacífico e democrático que reflita seus desejos”. Eleições nacionais estão marcadas para o fim deste mês.

Na capital, Argel, dezenas de milhares de pessoas foram às ruas na noite de terça-feira para celebrar a notícia, que Bouteflika deu à nação através de transmissão ao vivo na TV. Horas antes, o chefe das Forças Armadas da Argélia havia pedido para que ele deixasse o cargo imediatamente, declarando incapacidade de seguir no posto, de acordo a imprensa internacional.


Comente

comentários