Chefe da ONU diz que terrorismo está crescendo e pede mais esforços para combater essa ameaça

Na mensagem para o Fórum Global contra o Terrorismo, Ban Ki-moon lembrou os recentes ataques no Iraque, Quênia e Paquistão e ressaltou que essa ameaça afeta a estabilidade nacional e regional.

Em dezembro de 2007, a sede da ONU na Argélia sofreu um atentado que matou 17 funcionários da organização. Foto: ONU/Evan Schneider

Em dezembro de 2007, a sede da ONU na Argélia sofreu um atentado que matou 17 funcionários da organização. Foto: ONU/Evan Schneider

Em sua mensagem para o Fórum Global contra o Terrorismo, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu um esforço coletivo para combater o que ele chamou de “um dos maiores desafios relacionados à segurança de nossos tempos”.

Ban ressaltou que o terrorismo continua crescendo em várias regiões do mundo. “O extremismo e a radicalização no Sahel estão afetando a estabilidade nacional e regional. No Afeganistão, Paquistão e Iraque, as pessoas já não sabem o que significa viver sem medo de ataques terroristas”, afirmou na sexta-feira (27).

O chefe da ONU relembrou as centenas de mortes que aconteceram somente no último final de semana no Iraque, no Paquistão e no Quênia e falou que, desde o seu lançamento em 2011, o Fórum tem tido um papel importante para avaliar questões prioritárias, mobilizar financiamento e construir parcerias para um enfrentamento conjunto contra o terrorismo.

“As Nações Unidas saúdam a parceria com o Fórum e esperam estreitar essa cooperação”, disse Ban, acrescentando que o Fórum contribui para implementar a Estratégia Global Antiterrorista da ONU, fornecendo recursos para organizações locais que combatem o terrorismo.

Em junho do ano que vem, os Estados-membros vão participar da quarta revisão bienal da estratégia, que fornece o modelo para a cooperação internacional contra o terrorismo.