Chefe da ONU destaca necessidade de diminuir a lacuna entre ciência e política

Durante o lançamento do Conselho de Consultoria Científica, em Berlim, o secretário-geral Ban Ki-moon destacou a necessidade de incorporar a ciência na formulação de políticas da ONU.

Ciência pode apoiar diversos temas, como o desenvolvimento sustentável. Foto: ONU

Ciência pode apoiar diversos temas, como o desenvolvimento sustentável. Foto: ONU

As Nações Unidas devem usar a ciência e a tecnologia para fortalecer a sua formulação de políticas sobre desenvolvimento sustentável, redução de desigualdades e erradicação de pobreza extrema, afirmou nesta quinta-feira (30) o secretário-geral da Organização, Ban Ki-moon, durante o lançamento, em Berlim, na Alemanha, do Conselho de Consultoria Científica.

Composto por 26 cientistas de disciplinas naturais, sociais e humanas, o objetivo do Quadro – cujo secretariado é da UNESCO – é fortalecer os laços entre a ONU e a comunidade científica global para que a ciência possa ser integrada de forma mais eficiente aos processos de formulação de políticas.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em coletiva de imprensa com o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, em Berlim. Foto: ONU/Mark Garten

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em coletiva de imprensa com o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, em Berlim. Foto: ONU/Mark Garten

“Entramos em uma nova era, que foi nomeada ‘Antropocena’”, disse Ban em referência a um termo recém-cunhado para a atual época geológica definida pelo impacto dos seres humanos no planeta.

“Precisamos da ciência para entender o nosso ambiente, protegê-lo e usá-lo com sabedoria”, acrescentou o chefe da ONU, observando que a ciência também é necessária para combater a fome e a insegurança alimentar, as desigualdades crescentes, prevenir desastres e estimular a urbanização, o saneamento e a energia sustentável para todos.