Chefe da missão da ONU no Iraque condena ataque que matou 14 pessoas em rodovia

Crime aconteceu pouco tempo depois que a Organização anunciou que 1.045 pessoas morreram em ataques terroristas em maio, mês mais violento do país em cinco anos.

Foto de arquivo (IRIN)

Foto de arquivo (IRIN)

O assassinato de 14 policiais de fronteira e civis em uma estrada que liga as cidades de Ramadi e Kerbala, no Iraque, foi fortemente condenado pelo representante especial do secretário-geral da ONU no país, Martin Kobler, que considerou o crime “hediondo e a sangue frio”.

“Peço às autoridades de segurança para tomarem medidas rápidas e decisivas para deter os autores deste crime abominável e trazê-los à justiça”, disse ele, que também é chefe da Missão de Assistência das Nações Unidas para o Iraque (UNAMI).

Os criminosos montaram um posto de controle falso na cidade de Al-Nukhaib, a aproximadamente 300 km ao sudoeste de Ramadi, e pelos relatos abriram fogo quando os policiais pararam.

O enviado da ONU estendeu suas condolências às famílias das vítimas, bem como à polícia iraquiana.

O ataque ocorreu pouco tempo após a missão da ONU no país ter anunciado que maio foi o mês mais violento no Iraque em mais de cinco anos. Mil e quarenta e cinco pessoas foram mortas e 2.397 feridas em atos de terrorismo.