Cerca de 79% das brasileiras usaram métodos contraceptivos em 2015, informa ONU

Relatório destaca ainda que cerca de 216 milhões de mulheres no mundo não têm acesso a formas de prevenção da gravidez, sendo a maioria de países em desenvolvimento.

Foto: UNFPA

Foto: UNFPA

Segundo o relatório publicado pelo Departamento da ONU para Assuntos Econômicos e Sociais, Tendências do Uso de Métodos Anticoncepcionais no Mundo 2015, 64% das mulheres em um relacionamento estável usam métodos anticoncepcionais para não engravidar.

No Brasil, as mulheres que usam algum tipo de método contraceptivo chegam a 79% em 2015, contra cerca de 51% em 1970. Ainda, 86% de brasileiros fazem planejamento familiar.

De acordo com a ONU, os países menos desenvolvidos são os que registram menor uso de métodos eficazes para prevenir a gravidez. Cerca de 216 milhões de mulheres no mundo querem ter acesso a métodos anticoncepcionais, mas não conseguem. A região da África Subsaariana lidera o grupo, com 24% de mulheres sem acesso a formas de prevenção – o dobro da média mundial de 2015.

Os países com maior quantidade de casais que usam métodos anticoncepcionais estão na América do Norte, com 75%, seguidos da Oceania, que somam 59%.

Os métodos mais utilizados para evitar a gravidez são ligadura de trompas, com 28%, pílula anticoncepcional, camisinha e vasectomia, respectivamente. Especialistas estimam que mais mulheres usarão contraceptivos até 2030, indo dos 758 milhões para 778 milhões, sendo um aumento mais significativo para todas as regiões da África e do sul da Ásia.

A provisão do acesso ao planejamento familiar, principalmente pelo uso de contraceptivos eficazes, contribui para melhores resultados na saúde reprodutiva, nas áreas de saúde em geral, na educação e economia.