CEPAL: inclusão financeira de agricultores familiares é chave para desenvolvimento rural com igualdade

A mudança estrutural progressiva das zonas rurais latino-americanas e caribenhas requer estratégias inovadoras, assim como uma maior capacidade de articulação entre os múltiplos atores e um papel estratégico do setor público como catalizador, segundo nova publicação da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) divulgada na semana passada (22).

O livro “Inclusão financeira de pequenos produtores rurais”, editado pela sede sub-regional da CEPAL no México, busca fortalecer a análise e a formulação de políticas públicas para fomentar o acesso dos agricultores familiares da América Latina e do Caribe a uma ampla gama de serviços financeiros.

Agricultores semeando alface crespa. Foto: Flickr/ Orgânicos do Pivas (Creative Commons)

Agricultores semeando alface crespa. Foto: Flickr/ Orgânicos do Pivas (Creative Commons)

A mudança estrutural progressiva das zonas rurais latino-americanas e caribenhas requer estratégias inovadoras, assim como uma maior capacidade de articulação entre os múltiplos atores e um papel estratégico do setor público como catalizador, segundo nova publicação da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), divulgada na semana passada (22).

O livro “Inclusão financeira de pequenos produtores rurais” mostra as amplas desigualdades nas áreas rurais dos países da região onde, de acordo com as últimas estimativas, a incidência da pobreza e da extrema pobreza praticamente duplica na comparação com as zonas urbanas. Isso significa que, apesar de aglutinar 20% da população total, o entorno rural concentra um terço dos pobres e quase a metade da extrema pobreza dos países latino-americanos e caribenhos, afirma o documento.

O relatório diz ainda que as desigualdades entre as zonas urbana e rural também são verificadas em outras dimensões do bem-estar, como em saúde, educação, inserção no mercado de trabalho e acesso à seguridade social.

Neste contexto, a CEPAL aposta na transformação da estrutura produtiva para atividades e processos intensivos de conhecimento, que estejam vinculados a mercados dinâmicos, de forma a estimular a atividade econômica e a geração de emprego, e que favoreçam a sustentabilidade ambiental como caminho e a política pública como instrumento.

A publicação afirma que um componente fundamental de tal mudança estrutural progressiva é a transformação inclusiva do âmbito rural, que eleva a produtividade das atividades primárias, aumentando as capacidades de pequenos produtores rurais de gerar excedentes comercializáveis e acesso a mercados.

O livro “Inclusão financeira de pequenos produtores rurais”, editado pela sede sub-regional da CEPAL no México, busca fortalecer a análise e a formulação de políticas públicas comercialmente viáveis que aumentem o acesso dos pequenos produtores rurais da América Latina e do Caribe a uma ampla gama de serviços financeiros.

Para isso, são identificadas as melhores práticas em matéria de políticas públicas em cinco países (Costa Rica, El Salvador, Honduras, República Dominicana e México) em diferentes fases do processo de formulação e implementação de estratégias integrais de inclusão financeira.

Clique aqui para acessar a publicação (em espanhol).