CEPAL defende reforma de organismos multilaterais em benefício dos países em desenvolvimento

Secretária Executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, pede revisões nas instâncias de decisão e nos mecanismos de atribuição de quotas.

CEPAL defende reforma de organismos multilaterais em benefício dos países em desenvolvimentoA agenda e a governança dos organismos multilaterais tem de ser ampliada para incorporar áreas de interesse dos países em desenvolvimento, afirmou na última sexta-feira (16/03) em Montevidéu a Secretária Executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena.

“É preciso revisar a conformação das diversas instâncias de decisão das organizações multilaterais e mecanismos de atribuição de quotas, de modo que os níveis de contribuição sejam atribuídos de acordo com o peso de desenvolvimento econômico dos países e também com base nas necessidades das nações em desenvolvimento, incluindo a região [da América Latina e Caribe]”, disse ela.

Bárcena disse que, embora a região tenha mostrado taxas positivas, como o aumento nas exportações e a redução na taxa de desemprego, o crescimento regional vai abrandar este ano para 3,7%. Em 2001 o crescimento foi de 4,3%. A turbulência internacional, principalmente na Europa, segundo a Secretária Executiva da CEPAL já está causando efeitos danosos como o aumento na inflação e a deteriorização da conta corrente.