Centro RIO+ das Nações Unidas é homenageado em premiação da Associação Comercial do Rio de Janeiro

Centro RIO+, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), foi homenageado na edição de 2016 do Prêmio de Sustentabilidade da Associação Comercial do Rio de Janeiro por dar continuidade à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Medalha entregue ao Centro RIO+ reconheceu esforços do organismo vinculado ao PNUD para dar continuidade aos compromissos assumidos em diferentes conferências das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável no Rio de Janeiro. Foto: Centro RIO+ / Brenda Hada

Medalha entregue ao Centro RIO+ reconheceu esforços do organismo vinculado ao PNUD para dar continuidade aos compromissos assumidos em diferentes conferências das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável no Rio de Janeiro. Foto: Centro RIO+ / Brenda Hada

O Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável – Centro RIO+ – do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) recebeu na última sexta-feira (10) a medalha Vida Que Te Quero Viva, da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACrio).

O organismo foi premiado por dar continuidade aos compromissos estabelecidos pelas conferências da ONU sobre desenvolvimento sustentável realizadas na capital fluminense em 1992 e 2012. A medalha foi concedida ao organismo no âmbito da 7ª edição do Prêmio ACRio de Sustentabilidade.

“Uma parte de nosso trabalho é mostrar como construir a sustentabilidade através de experiências práticas. A sustentabilidade precisa mudar a lógica de consumo, os exemplos aqui hoje mostram que é um bom negócio trabalhar com a sustentabilidade”, afirmou o diretor do Centro RIO+, Rômulo Paes de Sousa.

O Centro RIO+ foi criado como um legado da Rio+20. Fundado em junho de 2013 na capital fluminense como uma parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o governo do Brasil, o organismo é um dos seis centros globais de excelência do PNUD, trabalhando em estreita colaboração com o Departamento de Apoio a Políticas e Projetos em Nova York e com os escritórios nacionais do PNUD em 166 países.

Diretor do Centro RIO+, Rômulo Paes de Souza (à direita) recebe homenagem da Associação Comercial do Rio de Janeiro ao organismo das Nações Unidas. Foto: Centro RIO+ / Brenda Hada

Diretor do Centro RIO+, Rômulo Paes de Souza (à direita) recebe homenagem da Associação Comercial do Rio de Janeiro ao organismo das Nações Unidas. Foto: Centro RIO+ / Brenda Hada

Segundo o presidente da Associação Comercial, Paulo Manoel Protasio, “o Rio de Janeiro tem compromisso histórico no Brasil e no mundo com a sustentabilidade. Não só por ter sido berço das históricas conferências das Nações Unidas de 1992 e 2012, mas também pelo compromisso da cidade com o tema do desenvolvimento sustentável”.

Além da entrega da medalha ao centro do PNUD, o evento premiou três empresas que se destacaram na promoção da sustentabilidade nas categorias pequena, média e grande empresa, e também incluiu uma menção honrosa à empresa LafargeHolcim.

Para o presidente do Conselho Empresarial de Meio Ambiente e Sustentabilidade da ACRio,Haroldo Matos de Lemos, o Prêmio de Sustentabilidade serve para desmistificar o conceito de “business as usual”.

Segundo Lemos, a sustentabilidade já é o novo padrão de negócios, uma vez que os consumidores e cidadãos conscientes exigem cada vez mais um protagonismo das empresas em relação ao uso sustentável dos recursos naturais e também na promoção da qualidade de vida e bem-estar social.

Hospitalidade, futebol e sustentabilidade

Premiado na categoria Microempresa, o Hostel Maraca foi criado após uma viagem ao redor do mundo pelos seus sócios fanáticos por futebol: Guilherme Carames, Roberto Sampaio e Célio Castro.

Localizado na Zona Norte da capital fluminense – local considerado à primeira vista como de pouco potencial turístico –, o Hostel Maraca desenvolveu seu conceito de hospedagem em torno da sustentabilidade e da valorização dos atributos de sua vizinhança, com destaque para o Polo Gastronômico da Tijuca.

Através da rigorosa adoção de medidas como o emprego de mobiliário ecológico usando pallets da construção civil; a redução do consumo de água, com captação de água das chuvas para limpeza e abastecimento da piscina e a redução do lixo, com pesagem dos resíduos de cada quarto, o hostel se transformou em uma referência em sustentabilidade, trabalhando as suas três dimensões: ambiental, social e econômica.

O local também pratica compostagem e reciclagem, além de buscar reduzir o consumo de energia elétrica, a partir do controle dos gastos, monitoramento e manutenção constantes dos aparelhos.

Atendimento de saúde sustentável

Com 218 leitos, o Hospital Federal Cardozo Fontes mudou paradigmas ao implementar práticas sustentáveis na área médico-hospitalar — o que lhe rendeu o Prêmio Sustentabilidade na categoria Empresa de Médio Porte.

Segundo a gestora ambiental do hospital, Ieda Nogueira, “os profissionais que trabalham na área de saúde têm dificuldades enormes para entender que o ofício de salvar vidas pode ser associado com menor impacto ao meio ambiente”.

Outro mito que precisou ser combatido, de acordo com a gestora, “é que os resíduos hospitalares seriam sempre infectantes, quando, na verdade, 90% dos mesmos podem ser reciclados”.

Enfrentando obstáculos com muita informação e debate, o hospital conseguiu reduzir em mais de 50 toneladas a quantidade de resíduos gerados por ano. Além disso, o emprego sistemático da reciclagem e compostagem gerou uma economia de mais de 130  mil  reais entre os anos de 2012 e 2015.