Centro de Excelência participa de debate sobre educação e inovação em Salvador

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Centro de Excelência contra a Fome, uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, participou do Fórum Global Virtual Educa: a Cooperação Sul-Sul, realizado esta semana (de 4 a 8) em Salvador, na Bahia.

Na ocasião, Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência, enfatizou a importância de incluir os países africanos no debate sobre educação e inovação.

“As trocas entre os países latino-americanos e caribenhos têm resultados muito positivos, tanto na segurança alimentar como na educação, porque os dois continentes enfrentam desafios semelhantes e podem encontrar soluções compartilhadas”, acrescentou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Centro de Excelência contra a Fome, uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, participou do Fórum Global Virtual Educa: a Cooperação Sul-Sul, realizado esta semana (de 4 a 8) em Salvador, na Bahia.

O evento ocorreu paralelamente ao 19ª Seminário Virtual Internacional Educa, uma iniciativa criada em 2001 para impulsionar a inovação em educação e promover a transformação social e o desenvolvimento sustentável, especialmente na América Latina e no Caribe. O tema do fórum global foi “Cooperação Multilateral em Educação e Inovação”.

O objetivo do evento foi compartilhar experiências, resultados e perspectivas de iniciativas desenvolvidas no campo da educação. Cerca de 3 mil representantes de países latino-americanos, caribenhos e africanos participaram. O encontro foi parte de uma série de fóruns sobre educação e inovação iniciada em Santo Domingo, República Dominicana, em 2010. A intenção foi consolidar um espaço de reflexão e análise sobre educação no século 21, tendo a inovação como eixo.

O secretário-geral da iniciativa multilateral de inovação e educação Virtual Educa, José Maria Antón, falou sobre a importância de criar um fórum global, realizado pela primeira vez. “Sempre tivemos esses debates muito específicos e regionais, mas com o crescimento do Virtual Educa sentimos a necessidade de uma discussão mais ampla. Agora podemos discutir com sucesso experiências com mais países, permitindo trocas educacionais de forma a contribuir para o desenvolvimento da educação global”, disse.

Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência, enfatizou a importância de incluir os países africanos no debate sobre educação e inovação. “O continente africano tem uma população enorme que precisa ser atendida por políticas educacionais inclusivas e inovadoras que possam catalizar o desenvolvimento sustentável”, disse. “As trocas entre os países latino-americanos e caribenhos têm resultados muito positivos, tanto na segurança alimentar como na educação, porque os dois continentes enfrentam desafios semelhantes e podem encontrar soluções compartilhadas”, acrescentou.


Mais notícias de:

Comente

comentários