Centro da ONU ajuda Equador a enfrentar infecção que ataca sistema reprodutivo do gado

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em Quito, no Equador, especialistas do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) apoiaram em maio um mapeamento de rebanhos para combater a burcelose bovina, infecção que ataca órgãos reprodutivos dos animais e pode provocar abortos. Além de causar perdas econômicos para a pecuária, a doença pode ser transmitida aos humanos, causando febre e lesões articulares.

Mapeamento de rebanhos no Equador teve participação de técnicos da PANAFTOSA. Foto: PANAFTOSA

Mapeamento de rebanhos no Equador teve participação de técnicos da PANAFTOSA. Foto: PANAFTOSA

Em Quito, no Equador, especialistas do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) apoiaram em maio um mapeamento de rebanhos para combater a burcelose bovina, infecção que ataca órgãos reprodutivos dos animais e pode provocar abortos. Além de causar perdas econômicos para a pecuária, a doença pode ser transmitida aos humanos, causando febre e lesões articulares.

De 27 de abril a 17 de maio, a instituição de pesquisa vinculada às Nações Unidas acompanhou e auxiliou equipes da Agência equatoriana de Regulação e Controle Fito e Zoossanitário (AGROCALIDAD). A patologia foi identificada como prioridade regional pelo plano da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) para enfermidades infecciosas negligenciadas. Estratégia começou a ser implementada em 2016 e tem metas para 2022.

Os resultados do levantamento feito no Equador serão discutidos com representantes de produtores nacionais, pesquisadores, categorias profissionais, organismos estatais de veterinária e saúde pública. O mapeamento faz parte das ações do Programa Nacional Sanitário de Prevenção, Controle e Erradicação da Brucelose Bovina, da AGROCALIDAD.


Mais notícias de:

Comente

comentários