Centro contra a Fome da ONU participa de missão ao Egito em apoio a programas sociais

O governo do Egito solicitou assistência à ONU e ao governo brasileiro para estruturar seus programas sociais.

Foto: WFP

Foto: WFP

O Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) e o governo brasileiro enviaram uma missão conjunta ao Egito para apresentar os programas de alimentação escolar e segurança alimentar e nutricional. A visita foi solicitada pelo governo egípcio, dada a expertise do Brasil na criação e implementação de políticas sociais em prol do desenvolvimento sustentável.

De 9 a 13 de março, a delegação se reuniu no Cairo com representante dos ministérios egípcios da Cooperação Internacional, Desenvolvimento Social, Educação e Agricultura. A oficial de Programas do Centro de Excelência, Sharon de Freitas, participou da viagem. O time brasileiro também foi composto de especialistas da ABC (Agência Brasileira de Cooperação), FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Eles visitaram plantações e escolas no Egito para dialogar com autoridades locais da área de educação e agricultura, comunidades e nutricionistas. Reuniões com a equipe do escritório do PMA no Brasil e com a embaixada brasileira também aconteceram.

De acordo com dados do PMA, o Egito enfrenta desafios de desenvolvimento devido a diferenças regionais e é o maior produtor mundial de trigo, o que o torna altamente vulnerável às flutuações dos preços internacionais. A pobreza continua a ser o principal obstáculo à educação no Egito.

O governo egípcio investe 60 milhões de dólares por ano no seu Programa Nacional de Alimentação Escolar, que alcança 5,3 milhões dos 17 milhões de crianças matriculadas em escolas do país. No entanto, a distribuição de alimentos não é consistente em todas as escolas durante todo o ano letivo, e meninas moradoras de áreas rurais têm menos chance de irem à escola.