Casa da ONU, em Brasília, implementa ações sustentáveis

Sustentabilidade é uma das prioridades desde a construção do complexo que combina tecnologias contemporâneas e antigas para a economia de energia e conservação ambiental.

Cata-vento instalado na sede da ONU em Brasília representa o compromisso da Organização com a sustentabilidade. Foto: Flávia Faria/PNUD Brasil.

Cata-vento instalado na sede da ONU em Brasília representa o compromisso da Organização com a sustentabilidade. Foto: Flávia Faria/PNUD Brasil.

O Sistema ONU no Brasil investe intensamente em ações para mitigar os impactos ambientais em sua estrutura física no cotidiano do Complexo Sergio Vieira de Mello – que abriga sete agências da ONU, em Brasília. Para promover o desenvolvimento sustentável, a ONU acredita que, além dos projetos em âmbito global, nacional ou regional, é preciso também incentivar e implementar ações sustentáveis dentro da própria organização.

A nova agenda de desenvolvimento global – que ampliará e aprofundará os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – está focada nas três dimensões da sustentabilidade: a ambiental, a social e a econômica. Essa agenda pretende responder aos novos desafios que, hoje, países de todo o mundo enfrentam.

A coordenadora técnica do projeto Transformação do Mercado de Eficiência Energética do Brasil do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ludmilla Diniz, explica que o prédio da ONU em Brasília foi construído tomando em consideração a sustentabilidade. “O sistema de ar condicionado é eficiente; o sistema de iluminação utiliza luminárias e lâmpadas recentes, e há muita iluminação natural”.

O prédio apresenta três fatores diferenciais principais que garantem a construção sustentável: piso de borracha com um elevado padrão ecológico no processo de produção; sistema de ar condicionado que utiliza Fluxo de Refrigerador Variável (VRF), que permite controle preciso e independente para cada usuário; e o design do prédio, grandes janelas ebreezings, para um maior aproveitamento da luz solar e que permite que a luz natural entre ao mesmo tempo em que impede o superaquecimento do edifício.

Além disso, o PNUD Brasil assinou termo de comodato com a Itaipu para o uso monitorado de dois veículos elétricos e está prevista a entrega de mais um ainda neste ano. Para incentivar outros impactos no meio ambiente, o complexo conta com um cata-vento que vai alimentar o sistema de irrigação do jardim do complexo, economizando a energia utilizada para bombear água do poço. O custo de manutenção é de cerca de apenas 300 reais anuais.

Para a promoção de práticas sustentáveis dentro do escritório da ONU e da conscientização dos funcionários, desenvolveu-se o programa ONU Verde, que implementa campanhas internas para disseminar a educação sustentável e socioambiental.