Cartilha ensina brincadeiras que estimulam desenvolvimento infantil

O Ministério da Cidadania acaba de lançar a cartilha “Jogos e Brincadeiras das Culturas Populares na Primeira Infância”, que ensina atividades lúdicas para o estímulo do desenvolvimento infantil. A publicação, resultado de parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), divide-se por faixa etária, do nascimento aos 6 anos, levando em conta as características de cada fase da primeira infância.

Cartilha "Jogos e Brincadeiras das Culturas Populares na Primeira Infância" ensina atividades lúdicas para o estímulo do desenvolvimento infantil. Foto: Secretaria Especial do Desenvolvimento Social/Clarice Castro

Cartilha “Jogos e Brincadeiras das Culturas Populares na Primeira Infância” ensina atividades lúdicas para o estímulo do desenvolvimento infantil. Foto: Secretaria Especial do Desenvolvimento Social/Clarice Castro

O Ministério da Cidadania acaba de lançar a cartilha “Jogos e Brincadeiras das Culturas Populares na Primeira Infância”, que ensina atividades lúdicas para o estímulo do desenvolvimento infantil. A publicação, resultado de parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), divide-se por faixa etária, do nascimento aos 6 anos, levando em conta as características de cada fase da primeira infância.

A expectativa é de que o material sirva como apoio extra aos profissionais que atuam no Programa Criança Feliz, reforçando junto às famílias atendidas o papel das brincadeiras para o desenvolvimento cognitivo e o fortalecimento do vínculo afetivo. O programa, que conta com o apoio do PNUD, se desenvolve por meio de visitas domiciliares. Nelas, métodos de cuidados para o desenvolvimento da criança são aplicados e ensinados aos pais ou cuidadores.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, ressalta a importância da atenção à primeira infância, por meio dos estímulos cognitivos, para o futuro das crianças. “A própria organização do cérebro é muito rápida desde a barriga da mãe até os três anos de idade. Quanto mais cedo forem aplicadas as políticas públicas, mais positivo será o resultado durante a vida. O indivíduo terá melhores resultados escolares, um bom salário no futuro, além de ser uma pessoa menos violenta”.

A secretária nacional de promoção do Desenvolvimento Humano, do Ministério da Cidadania, Ely Harasawa, destaca ainda os benefícios imediatos do estímulo por meio de atividades lúdicas no desenvolvimento infantil. “A brincadeira é uma coisa prazerosa, mas é a principal forma que a criança tem de aprender sobre as relações, os fenômenos naturais, a consistência dos objetos, a transformação e o entendimento das pessoas também”, reforça.

A cartilha está disponível online no site da Secretaria Especial da Cultura e na página do Programa Criança Feliz. Para acessá-la, clique aqui.