Cartilha bilíngue sobre autocuidado e higiene para crianças migrantes é lançada com apoio da OIM

A cartilha incentiva boas práticas de higiene e cuidado com o meio ambiente através de atividades lúdicas, reforçando a importância da lavagem das mãos. O material foi produzido pela Cáritas Brasileira e será fundamental na conscientização sobre a transmissão de doenças, como a COVID-19.

Ao todo, serão 1.500 exemplares distribuídos, impressos com o apoio da OIM, que recebeu 200 unidades do material para trabalhar com crianças migrantes na Área de Proteção e Cuidado (APC), localizada na Rodoviária Internacional de Boa Vista, e com crianças indígenas da etnia Warao que residem na ocupação espontânea Ka-Ubanoco.

Cartilha ajudará a conscientizar crianças migrantes sobre a transmissão de doenças, como a COVID-19. Foto: Cáritas Brasileira

Cuidar de si, é cuidar do mundo; dentes saudáveis, sorriso mais feliz; hora do banho; a natureza somos nós e está em suas mãos: são os temas abordados nas atividades da cartilha “Manitas Brillantes”, que em português significa “mãos brilhantes” – um material desenvolvido para o público infantil, que busca incentivar boas práticas de higiene e cuidado com o meio ambiente através de atividades lúdicas. O material tem como foco o autocuidado e reforça a importância da lavagem das mãos, ato de extrema importância em meio ao atual cenário de pandemia.

A cartilha foi produzida pelo ‘Projeto Orinoco: Águas que atravessam Fronteiras’, da Cáritas Brasileira , apoiado pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID/OFDA) e pela Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Segundo o coordenador local do Projeto Orinoco, Raphael Macieira, a cartilha se baseia em narrativas reais das crianças migrantes e apresenta um pouco da cultura do país receptor .“Queremos também apresentar um pouco da cultura brasileira, além disso, a cartilha traz um poema em forma de cordel que conduz as atividades e conta a trajetória de uma criança venezuelana recém chegada ao Brasil e sua rotina de hábitos de higiene de uma maneira divertida”, explicou.

O material tem um papel fundamental na conscientização sobre doenças, como a COVID-19, por exemplo. A cartilha foi baseada na Teoria dos 21 dias, onde entende-se que é o tempo necessário para a mudança de determinado hábito, nesse caso, incentiva-se a mudança de hábitos relacionados à higiene. Dessa forma, as educadoras do Projeto Orinoco desenvolveram 21 atividades com enfoque na promoção de higiene, que podem ser trabalhadas diariamente com o apoio de outras ferramentas pedagógicas como músicas, vídeos e danças.

A educadora venezuelana do Orinoco, Éukaris Couttiller, enfatiza que além do papel de promoção de higiene, a cartilha foi pensada também como um método para diminuir os processos xenófobos vividos por crianças migrantes e incentivar a integração, já que a cartilha é bilíngue (português e espanhol). “Pensando em um cenário pandêmico e, principalmente, pós-pandêmico, essa cartilha com certeza terá belos frutos nas redes de ensino, como uma forma de combater a xenofobia e discriminação durante o processo educacional e também nas mudanças de hábitos higiênicos das crianças”, afirmou.

Distribuição

Seguindo o Plano de Contingência da Cáritas Brasileira para enfrentar a pandemia do coronavírus, a equipe formada pelas educadoras do Projeto Orinoco está organizando a entrega dos exemplares da cartilha “Manitas Brillantes” para organizações e agências humanitárias que realizam atividades junto a crianças migrantes, além da Prefeitura de Boa Vista e Pacaraima. Antes da distribuição, houve uma apresentação on-line para que as organizações pudessem entender os objetivos e receber algumas indicações de como a cartilha pode ser trabalhada com as crianças.

Ao todo, serão 1.500 exemplares distribuídos, impressos com o apoio da OIM, que recebeu 200 unidades do material para trabalhar com crianças migrantes na Área de Proteção e Cuidado (APC), localizada na Rodoviária Internacional de Boa Vista, e com crianças indígenas da etnia Warao que residem na ocupação espontânea Ka-Ubanoco.

O projeto Direitos Humanos: Crianças em Movimento, dos Maristas; Fundação Fé e Alegria, Instituto Pirilampos, Visão Mundial, Serviço Jesuítas para Migrantes e Refugiados (SJMR), Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Boa Vista e Pacaraima, também serão contemplados com exemplares da cartilha.

Para garantir o uso efetivo, foram organizados pequenos kits para serem entregues com a cartilha, compostos por lápis, borracha, caixa lápis de cor e apontador, assim, as crianças poderão usufruir totalmente das brincadeiras e atividades que a cartilha oferece.

As organizações que se interessarem pelo material, poderão acessá-lo gratuitamente na biblioteca do site da Cáritas Brasileira: clique aqui.