‘Carta da ONU foi assinada há 75 anos – e seus princípios continuam verdadeiros’

No dia 26 de junho de 1945 – há exatos 75 anos –, 50 países se comprometiam com os 19 capítulos e 111 artigos da Carta das Nações Unidas, o documento que fundou a ONU. Entre os valores descritos no documento, se destacam uma visão de paz mundial, a promoção dos direitos humanos universais e justiça para todos.

Em uma mensagem em vídeo marcando a data, o secretário-geral da organização, António Guterres, afirmou que os seus princípios continuam a ser verdadeiros hoje em dia. Ele classificou o documento como um “guia atemporal” que ainda é válido para enfrentar os desafios atuais.

No dia 26 de junho de 1945 – há exatos 75 anos –, 50 países se comprometiam com os 19 capítulos e 111 artigos da Carta das Nações Unidas, o documento que fundou a ONU. Entre os valores descritos no documento, se destacam uma visão de paz mundial, a promoção dos direitos humanos universais e justiça para todos.

Em uma mensagem marcando a data, o secretário-geral da organização, António Guterres, afirmou que os seus princípios continuam a ser verdadeiros hoje em dia. Ele classificou o documento como um “guia atemporal” que ainda é válido para enfrentar os desafios atuais.

“Hoje, enfrentamos uma pandemia global. Em todo o mundo, as pessoas protestam, de modo correto, contra o racismo. Confrontar problemas é um começo. Mas também temos que resolvê-los. Temos um guia atemporal para enfrentar os desafios que partilhamos e corrigir as fragilidades do mundo. Esse guia é a Carta das Nações Unidas”, disse.

Guterres enumerou alguns dos princípios da Carta: fé em direitos humanos fundamentais, direitos iguais de homens e mulheres, a dignidade e o valor de cada pessoa, o direito internacional e solução pacífica de disputas, bem como melhores padrões de vida em maior liberdade.

“Estes valores duradouros nos levarão a um novo futuro. Um futuro em que paramos de prejudicar o meio ambiente e começamos a enfrentar as mudanças climáticas. Onde rejeitamos o fanatismo e celebramos a riqueza da diversidade humana. Um futuro onde os jovens lideram – nas ruas, nas suas escolas, na sociedade”, acrescentou.

O chefe da ONU destacou que a organização foi fundada antes do surgimento de ameaças como o crime cibernético e o discurso de ódio online. “Mas nossa Carta mostra também como enfrentar esses desafios. Vamos realizar esta visão de paz, direitos humanos e justiça para todos. Ao nos unirmos, com humanidade e união, uns com os outros”, concluiu.

Saiba mais sobre a Carta da ONU clicando aqui.