Caravana leva informações sobre saúde sexual e reprodutiva ao oeste do Paraná

Adolescentes do município de Cascavel (PR) participaram da abertura da Caravana Tá no Rumo no fim da semana passada, parte do projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná. A iniciativa é da ITAIPU Binacional e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O evento contou com mais de 200 adolescentes que puderam participar da exposição interativa, talkshow e cinedebate. Foto: Guilherme Cruz/Divulgação

O evento contou com mais de 200 adolescentes que puderam participar da exposição interativa, talkshow e cinedebate. Foto: Guilherme Cruz/Divulgação

Adolescentes do município de Cascavel (PR) participaram da abertura da Caravana Tá no Rumo no fim da semana passada, parte do projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná. A iniciativa é da ITAIPU Binacional e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A atividade passou por Cascavel nos dias 5 e 6 de março. O evento ainda percorrerá entre os meses de março e abril as cidades de Formosa do Oeste, São Miguel do Iguaçu, Palotina, Medianeira, Guaíra, Toledo e Corbélia.

O encontro teve exposição interativa, talkshow e cinedebate e a participação de mais de 200 adolescentes.

Interação e diálogo são marcas da caravana

Ao entrar na exposição interativa da caravana Tá no Rumo, a primeira personagem que as/os adolescentes encontram é Juliana, uma menina indígena.

Ela convida a pensar sobre os caminhos que podemos construir para nossas vidas. Ao desbravar o cenário, adolescentes são surpreendidos(as) ao levar os olhos para o teto estrelado, com a pergunta: “quantos futuros possíveis existem para você?”.

O questionamento instiga os sonhos e leva a pensar sobre os próximos passos. O diálogo com familiares também é um dos elementos que auxiliam a sedimentar esse futuro. Foi o que inspirou a assistente social Rafaela Zulmira de Oliveira Moraes a levar seus dois filhos para a caravana.

“Temos um diálogo aberto em casa, então, o interesse em trazê-los é para conhecerem e viver experiências que auxiliem nas suas descobertas e no acesso à informação. Trazê-los para um evento como este é uma oportunidade de conhecer e aprender de outras maneiras.”

Para Abner, de 12 anos, as atividades serviram para alicerçar novos conhecimentos. “Achei muito legal, porque eles debateram assuntos sobre os quais a gente não fala muito. Eu convidaria outros jovens, porque muitos deles não têm a oportunidade de conversar com os pais sobre esses assuntos”, disse.

Para Kemelyn, de 19 anos, estudante de Pedagogia, o espaço trouxe contribuições para sua formação. “É uma boa iniciativa para os jovens conhecerem esse processo da gravidez na adolescência e sobre a sexualidade. Ter alguém recomendado para falar com os adolescentes, dizer o que é isso, e saber que pode buscar um posto de saúde, traz uma outra realidade”, complementou.

A exposição interativa guarda muitos momentos de reflexão com questionamentos que fazem adolescentes se depararem com múltiplas realidades.

Nos setes ambientes retratados, cada um com um personagem que engloba diferentes perfis na juventude, são abordados temas como direitos das crianças, adolescentes e jovens até infecções sexualmente transmissíveis (IST’s), identificação de violências e abusos, prevenção da gravidez não intencional e projetos de vida.

Veja a programação completa da caravana Tá no Rumo em www.tanorumo.com.br.