Campanhas da ONU ganham destaque em plataforma de inteligência artificial

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Novo software do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, inclui projetos das Nações Unidas no Brasil e estimula ações por um mundo melhor.

Treze projetos da ONU foram incluídos em uma plataforma de inteligência artificial que pretende facilitar o engajamento social.

Inaugurada em dezembro de 2017, a IRIS+, nova assistente cognitiva do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, é capaz de formular perguntas que levam o visitante a refletir sobre seu papel na sociedade.

“Isso fortalece esse lado da ação, que é o que a gente, de alguma forma, pretende que o visitante faça, mas a gente acha que com a experiência da IRIS+ os visitantes vão poder se engajar mais”, diz Leonardo Menezes, gerente de conteúdo do Museu do Amanhã.

Desenvolvida em parceria com a IBM, a IRIS+ é uma adaptação do projeto de inteligência virtual da empresa, o Watson, ao ambiente do Museu. A plataforma não só responde dúvidas, mas conversa com o usuário para entender quais são suas maiores preocupações sobre as questões apresentadas na exposição.

A partir das respostas obtidas, o sistema apresenta uma série de projetos e iniciativas que o visitante pode tomar para se engajar com as causas.

As campanhas do Sistema ONU Brasil que estão incluídas na plataforma são: #VidasNegras; ‘Somos Refugiados’ e #IBelong, do ACNUR; a campanha pela igualdade de direitos para a população LGBTI, ‘Livres e Iguais’; a ‘50 for Freedom’ e o Fórum de Empresas e Direitos LGBT, da OIT; ‘Eles por Elas’, Planeta 50-50 e Una-se, da ONU Mulheres; e Mares Limpos, Breathe.Life, SiBBr e as Convenções de Minamata e Estocolmo, da ONU Meio Ambiente.

Saiba mais sobre as campanhas da ONU no Brasil em nacoesunidas.org/campanhas.


Mais notícias de:

Comente

comentários