Caminhoneiros apoiam os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência em ação da ONU e Caravana Siga Bem

Evento em Uberlândia reuniu caminhoneiros, comunidades estradeiras e representantes das empresas patrocinadoras da Caravana Siga Bem para pedir o fim da violência contra as mulheres. Foto: Facebook Caravana Siga Bem

Em comemoração aos 16 Dias de Ativismo, a ONU Mulheres, a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS) e a Caravana Siga Bem organizaram um evento em Uberlândia (MG) na segunda-feira (07) para pedir o fim da violência contra as mulheres e meninas. Segundo o Mapa da Violência lançado em novembro, em Minas Gerais, 152.075 mulheres foram agredidas por pessoa desconhecida em 2013 e 405.399 foram agredidas por pessoa conhecida.

A representante da ONU Mulheres, Nadine Gasman, e o representante da OPAS, Joaquín Molina, estiveram presente no evento. Na ocasião, caminhoneiros, comunidades estradeiras e representantes das empresas patrocinadoras da Caravana Siga Bem, mostraram seu apoio às campanhas das Nações Unidas O Valente não é Violento e ElesPorElas (HeForShe). A primeira iniciativa busca envolver meninos e homens na luta pela igualdade de gênero e para que desassociem a masculinidade de comportamentos violentos. Já a ElesPorElas (HeForShe) é um esforço global para envolvê-los na remoção das barreiras sociais e culturais que impedem as mulheres de atingir seu potencial, buscando a paridade em todas as esferas sociais para homens e mulheres.

Segundo o Mapa da Violência 2015, estudo elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), com o apoio da ONU Mulheres e da Organização Pan-americana de Saúde, o Brasil assume a 5ª posição no ranking de feminicídio, com uma taxa de 4,8 assassinatos por cada 100 mil mulheres. 55,3% desses crimes foram cometidos no ambiente doméstico e 33,2% dos assassinos eram parceiros ou ex-parceiros das vítimas, com base em dados de 2013 do Ministério da Saúde.

No âmbito da iniciativa O Valente não é Violento, a OPAS e a ONU Mulheres têm desenvolvido, com apoio da Embaixada da Austrália, oficinas sobre estereótipos de gênero e materiais informativos, como pesquisas, adesivos e mensagens para caminhoneiros da Caravana Siga Bem.

“O trabalho de conscientização e envolvimento dos caminhoneiros que participam da Caravana Siga Bem é um grande avanço na prevenção da violência contra mulheres e meninas”, disse a representante da ONU Mulheres. “A iniciativa O Valente não é Violento realiza workshops e leva informação sobre a igualdade de gênero para os caminhoneiros.”

Para Molina, é necessário aumentar a conscientização sobre o tema. “A violência contra as mulheres é um problema de saúde pública que tem consequências graves também na esfera social. Devemos combatê-la com tolerância zero”.

Além disso, os exames preventivos de saúde realizados na Caravana também são uma excelente forma de mostrar que o homem pode e deve ter cuidado com sua saúde e que é responsável pela gravidez e doenças sexualmente transmissíveis tanto quanto as mulheres.