Brasileiros são finalistas de desafio do PNUD com produto que limpa urina sem usar água

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Entre os dez finalistas da competição de empreendedorismo sustentável da ONU Accelerate2030, estão os brasileiros responsáveis pelo Piipee, iniciativa que visa reduzir os gastos com a água utilizada nas descargas. Um dos fundadores do negócio, Ezequiel Vedana desenvolveu produto que dispensa a água para limpar a urina. Com o projeto, já foram poupados mais de 6 milhões de litros de água limpa.

Ezequiel Vedana, fundador da PiiPee. Foto: PNUD

Ezequiel Vedana, fundador da PiiPee. Foto: PNUD

Entre os dez finalistas da competição de empreendedorismo sustentável da ONU Accelerate2030, estão os brasileiros responsáveis pelo Piipee, iniciativa que visa reduzir os gastos com a água utilizada nas descargas. O concurso é fruto de uma parceria entre o Impact Hub Genebra e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Seleção levou os concorrentes para a Suíça, onde aprenderão a expandir negócios e conhecerão investidores.

Ezequiel Vedana, um dos fundadores da Piipee, decidiu criar a companhia quando, numa manhã, após alguns dias de jejum, foi urinar. Ao dar descarga, ele se deu conta: “Eu acabei de desperdiçar tanta água limpa!”. Levou sete meses para encontrar uma solução química — e sustentável — para o problema da urina armazenada nas privadas.

O Piipee é um produto ecológico que elimina todo o uso de água no banheiro durante a micção. A urina é diluída e eliminada sem que se use a descarga.

“Esse é meu terceiro negócio. Comecei o primeiro quando eu tinha 16 anos. O segundo foi um projeto junto com minha esposa e, em março de 2010, surgiu a ideia do Piipee. Ao estudar o mercado, notei que havia apenas banheiros a vácuo e sanitários com água da chuva, mas todas eram soluções caras e demoradas”, contou o empresário à equipe do Accelerate2030.

O rapaz lembra que foi difícil achar um substituto para água, que fosse rápido e pouco custoso. “Quando fui ao supermercado, comprei todos os produtos de limpeza disponíveis e comecei a verificar os ingredientes para encontrar uma fórmula. Tentar chegar a um produto específico foi difícil porque havia muitos critérios: tinha que ser biodegradável, barato, mas também feito com ingredientes acessíveis.”

O jeito foi tentar por conta própria, com a ajuda dos parentes mais próximos. “Minha família e eu começamos a fazer xixi em copos e tentamos muitas combinações químicas diferentes”, lembra. Passado pouco mais de um semestre, a fórmula estava pronta para ser patenteada.

“Primeiro, desenvolvemos um dispositivo para usar dentro das empresas. Mais tarde, desenvolvemos um spray para que os clientes usassem em casa. Agora, estamos vendendo em todos os estados do Brasil e temos mais de 400 clientes, como Braskem (um dos nossos maiores), Vale e PepsiCo. Mas o fato que nos deixa mais orgulhosos é que, desde novembro de 2015, já poupamos mais de 6 milhões de litros de água limpa”, diz Ezequiel, orgulhoso.

O CEO explica que o maior desafio foi começar as vendas. “Isso levou cinco anos. Mas, depois disso, nossa empresa cresceu três a quatro vezes mais depressa que o esperado. No momento, não temos fundos ou investimentos. Podemos viver de nossas vendas. Dois porcento do nosso lucro vai para a caridade”, lembra.

Ezequiel sonha com um futuro em que o processo de urinar possa eliminar toda e qualquer água limpa.

“Para estabelecer isso, estamos desenvolvendo um novo modelo de urinol e de vaso sanitário com a solução Piipee dentro deles. Com esse dispositivo, é possível monitorar em tempo real o tipo de banheiro que precisa ser limpo, recarregado e, por exemplo, quanto tempo se leva para limpar os sanitários, uma solução perfeita para empresas maiores”, revela o empreendedor.

Ezequiel estará em Genebra até o dia 13 de outubro para o programa de capacitação do Accelerate2030. Após o treinamento, o concurso apoiará os dez finalistas, elaborando um programa de nove meses, feito sob medida para conectar os parceiros ideais a cada um dos participantes.


Mais notícias de:

Comente

comentários