Brasileira será chefe de gabinete de António Guterres na ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O futuro secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou nesta quinta-feira (15) três mulheres no seu gabinete, incluindo uma brasileira: Maria Luiza Ribeiro Viotti, chefe de gabinete. Integram ainda a equipe mais próxima de Guterres uma nigeriana e uma sul-coreana.

Maria Luiza Ribeiro Viotti - Foto: Paulo Filgueiras/ONU

Maria Luiza Ribeiro Viotti – Foto: Paulo Filgueiras/ONU

O futuro secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou nesta quinta-feira (15) três mulheres no seu gabinete, incluindo uma brasileira: Maria Luiza Ribeiro Viotti, chefe de gabinete. Integram ainda a equipe mais próxima de Guterres uma nigeriana e uma sul-coreana.

Guterres anunciou que Amina J. Mohammed, da Nigéria, será a vice-secretária-geral e a sul-coreana Kyung-wha Kang assumirá um novo cargo, de Assessora Especial em Política. A escolha foi feita pela sólida experiência que as três possuem em assuntos globais, desenvolvimento, diplomacia, direitos humanos e ação humanitária.

“Estas indicações são o alicerce do meu time, que continuarei a construir, respeitando meu compromisso de igualdade de gênero e diversidade geográfica”, afirmou Guterres.

Amina J. Mohammed – Foto: Jean-Marc Ferré/ONU

Amina J. Mohammed – Foto: Jean-Marc Ferré/ONU

Amina J. Mohammed é ministra do meio ambiente da Nigéria, onde comanda os esforços do país na proteção do meio ambiente e conservação de recursos para o desenvolvimento sustentável. Foi assessora especial do secretário-geral Ban Ki-moon no Planejamento de Desenvolvimento pós- 2015, fundamental para promover a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável, incluindo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Antes de entrar na ONU, ela trabalhou em três sucessivas administrações na Nigéria, atuando como assessora especial para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), aconselhando em assuntos como pobreza, reforço do setor público e desenvolvimento sustentável e coordenando intervenções para a redução da pobreza. Amina também é professora adjunta de Prática de Desenvolvimento na Universidade da Colúmbia, tendo participado de diversos painéis e conselhos deliberativos. Nascida em 1961 e formada na Nigéria e no Reino Unido, é casada e tem seis filhos.

Maria Luíza Ribeiro Viotti é atualmente subsecretária para Ásia e Pacífico do Ministério de Relações Exteriores do Brasil, onde tem especial responsabilidade pelo trabalho com os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Diplomata de carreira desde 1976, recentemente foi embaixadora na Alemanha (2013 a 2016). Serviu na Missão do Brasil junto às Nações Unidas, em Nova York (1985-88 e 1999-2044), na Embaixada do Brasil em La Paz (1993-95) e em diversas posições no Itamaraty em Brasília.

Viotti foi Representante Permanente do Brasil junto às Nações Unidas de 2007 a 2013, tendo chefiado a delegação do Brasil junto ao Conselho de Segurança em 2010 e 2011. Presidiu o Conselho de Segurança em fevereiro de 2011. Nascida em 1954, é casada e tem um filho. Economista graduada na Universidade de Brasília, cursou o Instituto Rio Branco, academia diplomática brasileira.

Kyung-wha Kang – Foto: Jean-Marc Ferré/ONU

Kyung-wha Kang – Foto: Jean-Marc Ferré/ONU

Kyung-wha Kang é chefe do time de transição do futuro secretário-geral. Trabalhou como assistente do secretário-geral para assuntos humanitários desde 2013 e foi vice alto-comissária para Direitos Humanos entre 2007 e 2013. Foi diretora-geral para Organizações Internacionais do Ministério de Relações Exteriores e Comércio da Coreia do Sul.

Serviu na missão permanente de seus país na ONU entre setembro de 2001 e julho de 2005, quando presidiu a Comissão de Status de Mulheres. Nascida em 1955, é casada e tem três filhos. Graduada em Ciência Política e Diplomacia, tem mestrado em comunicação de massa e doutorado em comunicação intercultural pela Universidade de Massachusetts.


Comente

comentários