Brasil tem queda de 51% na mortalidade materna, registra relatório da ONU

O Brasil está reduzindo a mortalidade materna, mas ainda não alcançou o 5º Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM). De 1990 a 2010, o número de mortes maternas caiu de 120 para 56 a cada 100 mil nascimentos – queda de 51%. Os dados são do relatório “Tendências da Mortalidade Materna: 1990 a 2010”, divulgado conjuntamente hoje (16/05) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Banco Mundial.

O documento afirma que 50 países, incluindo o Brasil, conseguiram progresso substancial para atingir o ODM de reduzir em 75% a mortalidade materna entre 1990 e 2015. Outros dez já cumpriram a meta, 11 não fizeram qualquer progresso e 14 tiveram progresso insuficiente.

“Nós sabemos exatamente o que fazer para prevenir as mortes maternas: melhorar o acesso ao planejamento familiar voluntário, investir em profissionais de saúde com habilidades obstétricas e garantir o acesso a cuidados obstétricos de emergência quando surgirem complicações”, defendeu o Diretor Executivo do UNFPA, Babatunde Osotimehin.

Cerca de 90% das mortes acontecem em países em desenvolvimento e a maioria poderia ser evitada com intervenções de eficácia comprovada. A situação é mais crítica nos países da África Subsaariana.