Brasil tem maior número de apresentações em congresso da OPAS/OMS sobre saúde e tecnologia

País teve 53 trabalhos apresentados. Evento lançou Declaração que enfatiza a informação e o conhecimento como bens públicos.

 

Congresso debateu a relação entre ciência, tecnologia e saúde

Com 53 trabalhos apresentados, o Brasil foi o país com maior participação no Congresso Regional de Informação em Ciências da Saúde (CRICS 9), realizado em Washington entre os dias 22 e 24 de outubro, pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS). O evento debateu a relação entre a gestão das informações científicas e técnicas com a saúde, nos eixos temáticos Desenvolvimento em Capacidades, Informação para Decisão em Saúde, Estratégias e Políticas Públicas, Telesaúde e Tecnologias de Informação e Comunicação.

Depois do Brasil, a Colômbia teve 12 apresentações, Cuba 8 e o Peru 6. No congresso, participaram cerca de 400 pessoas de 30 países.

O evento também foi palco para a carta Declaração de Washington, redigida por membros do sistema latino-americano para informação em ciências da saúde. O documento enfatizam o fortalecimento da informação e do conhecimento como bens públicos e insta os governos da região a reforçarem o papel da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) nos sistemas de saúde.

A Diretora-Geral da OPAS, Mirta Roses, destacou a importância do CRICS9 ter lançado luz sobre o que pode ser feito para incorporar as técnicas da medicina a distância no atendimento ao paciente. “Se trabalharmos juntos vamos ter redes de melhores resultados mais cedo do que se pensa”.