Brasil segue tendência mundial de crescimento de comércio de serviços, segundo relatório da ONU

O Manual de Estatísticas da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) fornece um apanhado de estatísticas e indicadores relevantes para a análise do comércio internacional, investimento e desenvolvimento. Comércio mundial de serviços foi o maior condutor do crescimento em comércio global em 2014.

Segundo a publicação, o comércio de serviços globais em 2014 cresceu 5%, sendo o grande condutor do desenvolvimento econômico mundial em comércio do ano. Foto: USP Imagens/ Marcos Santos

Segundo a publicação, o comércio de serviços globais em 2014 cresceu 5%, sendo o grande condutor do desenvolvimento econômico mundial em comércio do ano. Foto: USP Imagens/ Marcos Santos

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) lançou nesta terça-feira (08) o Manual de Estatísticas 2015, um guia de dados e indicadores relevantes para a análise do comércio internacional, investimento e desenvolvimento. As estatísticas são importantes para a formulação de políticas e recomendações para a economia dos países.

Segundo a publicação, o comércio de serviços globais em 2014 cresceu 5%, sendo o grande condutor do desenvolvimento econômico mundial em comércio do ano, responsável por 21% do total de exportações no mundo em 2014; enquanto a comercialização de mercadorias estagnou, com crescimento de apenas 0,3%, e o investimento direto estrangeiro apresentou queda a nível mundial.

Seguindo a tendência mundial, o valor das exportações de serviços no Brasil aumentou de 39.127 milhões de dólares em 2013 para 40.169 milhões de dólares em 2014, bem como de importações, que passaram de 86.224 milhões de dólares para 88.461 milhões de dólares.

O investimento estrangeiro direto no Brasil, apesar de aumento vertiginoso até 2012, apresentou queda gradual até o ano de 2014. A cifra caiu de 63.996 milhões dólares para 62.495 milhões dólares, segundo o manual.

Enquanto o comércio de mercadorias se manteve estagnado mundialmente, a exportação de produtos no Brasil, que apresentava tendência de crescimento desde a década de 80 até 2012, diminuiu. De 2013 para 2014, as cifras caíram de 242.034 milhões dólares para 225.101 milhões de dólares, apresentando balança comercial de mercadorias negativa entre os anos de 2012 a 2014, de -4.465.