Brasil recebe Senegal e Serra Leoa para visita de estudo sobre alimentação escolar

O Centro de Excelência contra a Fome, fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA), recebe até sexta-feira (31) delegações de Senegal e Serra Leoa para uma visita de estudo em Brasília (DF) para trocar conhecimentos e boas práticas sobre alimentação escolar.

Os representantes dos países visitantes terão reuniões com autoridades brasileiras e farão uma viagem de campo a Salvador (BA) para ver em primeira mão os vínculos entre a alimentação escolar e a agricultura familiar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Centro de Excelência contra a Fome, fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA), recebe até sexta-feira (31) delegações de Senegal e Serra Leoa para uma visita de estudo em Brasília (DF) para trocar conhecimentos e boas práticas sobre alimentação escolar.

Os representantes dos países visitantes terão reuniões com autoridades brasileiras e farão uma viagem de campo a Salvador (BA) para ver em primeira mão os vínculos entre a alimentação escolar e a agricultura familiar.

A visita foi organizada por Centro de Excelência, Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE), responsável pelo programa de alimentação escolar do Brasil. Os escritórios do PMA no Senegal e em Serra Leoa estão apoiando a participação das delegações governamentais.

O Brasil e o Centro de Excelência contra a Fome colaboram com o governo do Senegal desde 2012, quando o país realizou sua primeira visita de estudo para conhecer o programa brasileiro de alimentação escolar.

Como forma de melhorar a educação e garantir a segurança alimentar, o governo está empenhado em promover a alimentação escolar em todo o país e, em 2017, o programa de merenda escolar alcançou 25% de cobertura (400 mil crianças) graças aos esforços combinados de governo, PMA e parceiros.

Os principais desafios enfrentados pelo governo para continuar melhorando o programa são fortalecer sua estrutura legal, mobilização de recursos e participação das partes interessadas locais.

O governo também espera formalizar a abordagem multissetorial do programa. O Ministério da Educação está trabalhando com o PMA para elaborar uma nova estratégia de alimentação escolar, com o apoio do Centro de Excelência.


Comente

comentários