Brasil presidirá sessão de Comissão da ONU sobre situação das mulheres que começa na segunda (14)

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Evento vai promover mais de 400 atividades em Nova York para debater a participação das mulheres na busca pelo desenvolvimento sustentável. O embaixador brasileiro Antonio Patriota é atual diretor do Gabinete da Comissão e conduzirá encontros entre representantes da ONU, dos países e da sociedade civil.

Prédio de Nova York foi iluminado pela marca da ONU Mulheres na noite do Dia Internacional da Mulher, celebrado mundialmente nesta semana (8). A cidade vai sediar a 60ª Sessão da Comissão da ONU sobre a Situação da Mulher a partir do dia 14 de março. Foto: ONU Mulheres / Ryan Brown

Prédio de Nova York foi iluminado pela marca da ONU Mulheres na noite do Dia Internacional da Mulher, celebrado mundialmente nesta semana (8). A cidade vai sediar a 60ª Sessão da Comissão da ONU sobre a Situação da Mulher a partir do dia 14 de março. Foto: ONU Mulheres / Ryan Brown

Na próxima semana (14), tem início a 60ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre a Situação das Mulheres. O Brasil, representado pelo embaixador Antonio Patriota, vai presidir o Gabinete da Comissão, liderando a condução dos trabalhos. Até o final de março (24), o evento promoverá mais de 400 atividades em Nova York para incentivar debates sobre a relação entre o empoderamento feminino e o desenvolvimento sustentável das sociedades.

“Será um festival de ideias”, destacou a diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, a respeito da Comissão que reunirá representantes dos Estados-membros, da sociedade civil e das Nações Unidas.

“A Comissão já tem trabalhado sob a perspectiva da aplicabilidade universal”, ressaltou Patriota, que também é representante permanente do Brasil junto à ONU. “Nenhum país, por mais desenvolvido (que seja), alcançou a igualdade de gênero plena, (isso é) um lembrete do desafio universal que enfrentamos ao promover a igualdade de gênero.”

Os encontros e discussões da Comissão vão rever os avanços conquistados até o momento para alcançar a igualdade de gênero e combater todas as formas de violência contra mulheres e meninas.

Às vésperas da 60ª Sessão da Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres, o embaixador brasileiro Antonio Patriota e a diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, destacaram a importância do evento para a promoção mundial da igualdade de gênero. Foto: ONU / Loey Felipe

Às vésperas da 60ª Sessão da Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres, o embaixador brasileiro Antonio Patriota e a diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, destacaram a importância do evento para a promoção mundial da igualdade de gênero. Foto: ONU / Loey Felipe

Serão debatidas ainda novas ações para promover a participação do público feminino em estratégias que os países têm elaborado para alcançar o desenvolvimento sustentável.

Em 2015, a comunidade internacional adotou a Agenda 2030, um novo conjunto de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que incluem a busca pela paridade entre homens e mulheres e a erradicação da violência de gênero.

Também no ano passado, a ONU Mulheres lançou a campanha “Por um Planeta 50-50 em 2030: um passo decisivo pela igualdade de gênero”. A iniciativa envolve o acordo de compromissos nacionais junto a cada Estado-membro.

Até o momento, mais de 90 países já prometeram medidas concretas para promover a inclusão econômica das mulheres, protegê-las de violações e prestar apoio em casos de crises, como o atual surto do vírus zika e fenômenos climáticos extremos.

Clique aqui para saber mais sobre as atividades que vão acontecer durante a 60ª Sessão da Comissão.


Mais notícias de:

Comente

comentários