Brasil ganha programas de apoio ao voluntariado no país e no exterior

Coordenador executivo do Programa de Voluntários da ONU esteve no país para promover a bolsa Sérgio Vieira de Mello e o SP Voluntário.

"Selfie" do coordenador executivo do UNV em visita a Brasília. Foto: PNUD

“Selfie” do coordenador executivo do UNV em visita a Brasília. Foto: PNUD

O Brasil conta agora com duas plataformas importantes para a valorização e promoção do trabalho voluntário dentro e fora do país: o Programa SP Voluntário, uma parceria com o governo do estado de São Paulo, e a Bolsa Sérgio Vieira de Mello, fruto de uma parceria com o Ministério de Relações Exteriores.

Na primeira visita ao Brasil como coordenador executivo do Programa de Voluntários das Nações Unidas (VNU), Richard Dictus conheceu pessoalmente os principais interlocutores destas iniciativas e reforçou a promoção do trabalho voluntário no país. Dictus participou de várias reuniões e encontros com o governo brasileiro, o governo do estado de São Paulo e agências da ONU.

Programa SP Voluntário

O trabalho conjunto com a Secretaria do Estado de Desenvolvimento de São Paulo (SEDS-SP), parceira do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e do VNU no Programa SP Voluntário, propõe a criação de uma rede com objetivo de elaborar e implementar políticas, projetos e ações para promover o voluntariado no Estado de São Paulo. A parceria foi assinada entre PNUD, Governo de São Paulo e VNU no dia 5 de dezembro do ano passado, na comemoração do Dia Internacional do Voluntário.

Para o governo de São Paulo, o apoio do VNU ajudará na criação de um canal de comunicação entre a representação pública, a Secretaria de Desenvolvimento Social e os diversos movimentos de voluntariado do estado. “Queremos ainda capacitar os gestores do setor, conhecer e mapear todas as iniciativas no território paulista e promover uma realidade em que o trabalho voluntário possa ser considerado, de fato, um relevante em benefício para as políticas públicas”, afirmou o secretário-adjunto da SEDS-SP, Henrique Almirates.

Bolsa Sergio Vieira de Mello

A parceria com o Itamaraty foi anunciada em agosto do ano passado, durante os eventos de homenagens aos dez anos da morte de Sergio Vieira de Mello, e oficializada no início deste ano.

Durante sua visita ao Brasil, Dictus se encontrou com Thiago Resende Xavier, o primeiro voluntário selecionado para a Bolsa Sergio Vieira de Mello. Xavier é formado em Direito e Relações Internacionais e irá para o Paquistão em um programa de combate à fome e promoção da segurança alimentar coordenado pelo Ministério da Segurança Alimentar e Pesquisa paquistanês e o Programa Mundial de Alimentos (PMA), da ONU. Dictus aproveitou a passagem pelo Itamaraty para se reunir com Xavier e o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo.

“É uma honra, uma ótima oportunidade estar em contato direto com pessoas que coordenam ações de tão grande escala”, disse o jovem voluntário sobre o encontro com a equipe da ONU. “Estou muito honrado e satisfeito de ter recebido essa bolsa e acredito que essa experiência irá me ajudar a galgar ainda muitos passos nessa mesma direção”, concluiu Xavier, que deve assumir o posto de voluntário internacional ainda no primeiro semestre deste ano.

Para o coordenador executivo do VNU, o encontro com o ministro das Relações Exteriores foi importante para discutir o papel de liderança que o Brasil desempenha atualmente no campo do voluntariado e para discutir a colaboração internacional entre o governo federal e as Nações Unidas.

Brasil: país emergente no campo do voluntariado

Além da Bolsa Sergio Vieira de Mello e do programa SP Voluntário, outras ações envolvendo voluntários brasileiros e o apoio do PNUD e do VNU aconteceram nos últimos anos.

Em 2007, mais de 10 mil jovens das comunidades do Rio de Janeiro atuaram como guias cívicos nos Jogos Pan-Americanos. Em 2011, o programa Escolas Vivas, uma parceria de voluntariado financiada pelo Brasil, levou 5 brasileiros para prestar serviços como voluntários em comunidades de El Salvador. No ano seguinte, em 2012, com suporte técnico do programa VNU, o PNUD treinou mais de 1.700 jovens voluntários para atuar na Conferência Rio+20.

No ano de 2013, 74 voluntários nacionais e internacionais prestaram serviços no Brasil. Até março de 2014, dez voluntários nacionais e cinco voluntários internacionais, dos quais três estão finalizando o processo de recrutamento, faziam parte do quadro de pessoas do VNU.

“Queremos ter uma boa relação com o Brasil porque queremos mostrar que o país é um exemplo para as outras nações”, disse Dictus. “Essa foi uma excelente visita, com discussões avançadas com o governo brasileiro. No final das contas, acreditamos que o país irá se engajar ainda mais com o Programa de Voluntários das Nações Unidas e com a missão do voluntariado.”