Brasil está entre os 20 países que mais pediram registros de patentes em 2013, afirma ONU

De acordo com novo relatório da OMPI, os pedidos de patentes no mundo registraram recorde em 2013, com crescimento intenso pelo quarto ano consecutivo. A China liderou a lista, com 825 mil pedidos, seguida pelos Estados Unidos, com 571 mil.

Tecnologia em computadores foi um dos setores mais concorridos para pedidos de patentes em 2013. Foto: Indicefoto/Camila Cunha

Tecnologia em computadores foi um dos setores mais concorridos para pedidos de patentes em 2013. Foto: Indicefoto/Camila Cunha

Os pedidos de patentes no mundo registraram recorde em 2013, com crescimento intenso pelo quarto ano consecutivo, apesar da recuperação econômica global desigual, segundo um relatório da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) emitido nesta terça-feira (16).

Dentre os 100 países estudados, a China liderou a lista, com 825 mil pedidos, seguida pelos Estados Unidos, com 571 mil. O Brasil também está entre os 20 países que mais pediram registros de patentes em 2013 – com 30 mil solicitações e alta de 1,5% em relação ao ano anterior.

“Quanto ao Brasil, que é, sem dúvidas, o país lusófono mais importante em termos de propriedade intelectual, a gente vê que tem um crescimento nos pedidos de todos os instrumentos de propriedade intelectual que supera o produto interno bruto (PIB). Falando disso, vemos alguns comportamentos mais distintos. Por exemplo, no caso de patentes ou marcas, o crescimento é ainda mais impressionante”, disse o economista sênior da OMPI, Julio Raffo, à Rádio ONU.

A edição de 2014 do documento, Indicadores Mundiais de Propriedade Intelectual, ainda afirma terem sido emitidas 1,1 milhão de patentes no ano anterior. Os setores de maior concorrência foram os de tecnologia em computadores, maquinaria elétrica, comunicação digital e tecnologia médica.