Brasil é um dos 12 países eleitos para Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO

Doze países, entre eles o Brasil, foram eleitos na semana passada (14) para integrar o Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

O comitê é responsável pela aplicação da Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural e se reúne anualmente para, entre outras coisas, julgar as candidaturas para inscrição na Lista no Patrimônio Mundial.

Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira designada como Patrimônio Cultural da UNESCO no país. Foto: UNESCO/M & G Therin-Weise

Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira designada como Patrimônio Cultural da UNESCO no país. Foto: UNESCO/M & G Therin-Weise

Doze países, entre eles o Brasil, foram eleitos na semana passada (14) para integrar o Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A eleição ocorreu em Paris durante a 21ª sessão da Assembleia Geral da Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural.

O Brasil obteve 136 votos, melhor resultado entre os 12 países que passaram a integrar o comitê este ano. Esta é a quinta vez que o país participa como membro do grupo, tendo sido eleito nos anos de 1980, 1987, 1993 e 2007. O país também já presidiu o comitê durante duas de suas reuniões anuais em 1988 e em 2010.

A atual delegação brasileira é composta pela presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Kátia Bogéa; pelo professor da Universidade de Brasília (UnB), Braulio Ferreira de Souza Dias; pelo diretor do Departamento de Articulação e Fomento do IPHAN, Marcelo Brito; pelo diretor de Promoção Internacional do Ministério da Cultura (MinC), Adam Jayme Muniz; e pelo coordenador para Assuntos Internacionais do IPHAN, Leonardo Martins Prudente.

“A representação da UNESCO no Brasil celebra o retorno do país ao Comitê do Patrimônio Mundial. O Brasil tem grande experiência na promoção e salvaguarda de seu patrimônio e, sem dúvida, dará importante contribuição ao trabalho do comitê. No momento em que o IPHAN comemora 80 anos, a entrada para o comitê consagra o comprometimento do país com seus 21 sítios culturais e naturais inscritos na Lista do Patrimônio Mundial e também com todo o patrimônio universal e de valor excepcional para a humanidade”, disse a representante interina da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto.

Sobre o Comitê do Patrimônio Mundial

O Comitê do Patrimônio Mundial é um conselho integrado por 21 países, Estados-parte da Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural. Seus países-membros têm mandatos de até seis anos. O comitê é responsável pela aplicação da Convenção e se reúne anualmente para, entre outras coisas, julgar as candidaturas para inscrição na Lista no Patrimônio Mundial; zelar pelo estado de conservação dos bens já inscritos e decidir pela exclusão de sítios da lista.

Neste ano, os demais países eleitos para compor o comitê foram: Austrália, Bahrein, Bósnia e Herzegovina, China, Guatemala, Hungria, Quirguistão, Noruega, Espanha, Uganda e São Cristóvão e Nevis. Eles se juntam a outros nove países que já faziam parte do comitê por eleições anteriores — Angola, Azerbaijão, Cuba, Indonésia, Kuwait, Tunísia, Tanzânia, Zimbábue e Burkina Faso.

Sobre a Convenção do Patrimônio Mundial

A Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural é um tratado internacional aprovado pela UNESCO em 1972 que tem por objetivo promover a identificação, a proteção e a preservação do patrimônio cultural e natural de todo o mundo, considerado especialmente valioso para a humanidade. A convenção já foi ratificada por 193 países.

O pacto determinou a criação da Lista do Patrimônio Mundial que, atualmente, possui 1.073 bens inscritos em 167 Estados-parte (832 bens culturais; 206 bens naturais; 35 bens mistos). Cabe a cada Estado-parte propor a inscrição na lista e proteger os sítios em seus respectivos territórios.