Brasil e ONU se unem para promover alimentação escolar no Malauí

Com suporte de duas instituições da ONU, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), órgão do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, liderou uma missão ao Malauí para orientar o país africano sobre a criação de sistemas de alimentação escolar. Delegação discutiu importância da educação nutricional para a formação não só de alunos, como também de professores.

Foto: ONU Malauí

Crianças se alimentam em centro de ensino. Foto: ONU Malauí

Com suporte de duas instituições da ONU, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), órgão do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, liderou uma missão ao Malauí para orientar o país africano sobre a criação de sistemas de alimentação escolar. Delegação discutiu importância da educação nutricional para a formação não só de alunos, como também de professores.

Atualmente, o Brasil, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Itamaraty mantém um programa de cooperação trilateral para aprimorar o fornecimento de refeições em centros de ensino da nação africana. Como parte do projeto, os parceiros desenvolveram um curso para professores, a fim de incluir a educação nutricional no currículo de formação dos docentes de nível primário.

“Essa iniciativa pode ter um impacto duradouro no Malauí porque o treinamento de professores em educação nutricional vai contribuir para transformar a percepção da população sobre a importância da nutrição”, estima Peter Rodrigues, diretor-adjunto do Centro de Excelência contra a Fome da ONU. Especialista acompanhou a missão ao país.

A viagem teve por objetivo debater os impactos da atual Política de Saúde e Nutrição Escolar do Malauí. Estratégia foi elaborada com o apoio do Centro de Excelência. Além de promover a capacitação dos professores, a parceria entre a FAO, o Brasil e o Malauí conta com iniciativas de hortas escolares, que fazem parte das atividades de educação nutricional. Ações de cultivo também estão contempladas pela política nacional do país africano.

A visita ao Malauí contou com o apoio do Centro de Excelência, organismo do Programa Mundial de Alimentos da ONU, e com a participação de especialistas da FAO e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) do Brasil.