Brasil e ONU lançam a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Evento de lançamento realizado em Brasília, no Estádio Mané Garrincha, contou com a presença de mais de 300 pessoas, dentre elas representantes indígenas de mais de 23 países e 30 guerreiros indígenas brasileiros.

Com o lema “O importante não é ganhar, e sim celebrar”, a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas acontecerá em Palmas de 23 de outubro a 1º de novembro de 2015. Foto: PNUD Brasil/Tiago Zereno

Com o lema “O importante não é ganhar, e sim celebrar”, a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas acontecerá em Palmas de 23 de outubro a 1º de novembro de 2015. Foto: PNUD Brasil/Tiago Zereno

A cerimônia de lançamento da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas foi realizada na Tribuna de Honra do Estádio Mané Garrincha, em Brasília, na última terça-feira (23). O evento contou com a presença de mais de 300 pessoas, dentre elas representantes indígenas de mais de 23 países e 30 guerreiros indígenas brasileiros. Com o lema “O importante não é ganhar, e sim celebrar”, os jogos acontecerão em Palmas (TO) de 23 de outubro a 1º de novembro de 2015.

Para o ministro do esporte, George Hilton, “a realização do primeiro Jogos Mundiais Indígenas é uma iniciativa tão grandiosa quanto a que transformou os Jogos Olímpicos em realidade no século XIX”, quando o Barão de Coubertin fundou o Comitê Olímpico Internacional (COI). Já o presidente do Comitê Intertribal de Memória e Ciência Indígena, Marcos Terena, profetizou que “aqui no Brasil vai nascer o COI Indígena”.

A preservação da cultura dos povos indígenas e o respeito e valorização das diversidades foram temas de destaque durante o lançamento. A presidente da República, Dilma Rousseff, observou que “o Brasil é admirado por sua característica multiétnica. E deve também ser admirado por saber respeitar as diversidades das diferentes culturas”, afirmando em seu discurso que os jogos indígenas são uma lição para se acabar com a intolerância entre povos, gêneros e religiões.

Dilma Rousseff agradeceu em seu discurso o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) à organização dos Jogos. A contribuição da agência da ONU para os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas se dará por meio da estruturação do evento, a contratação de consultorias especializadas, além da condução de projetos paralelos de inclusão social, sustentabilidade e acessibilidade.


Mais notícias de:

Comente

comentários